Fábio Machado Fernandes
supervisor de Educação Física do Colégio Marista Criciúma, do Grupo Marista

É fato que vivemos tempos, onde o ser-humano vem afastando-se do convívio social concentrando-se nas suas questões e demandas individuais por conta do seus desejos e anseios pessoais. O perigo deste distanciamento das relações implica em uma sociedade muito mais competitiva, no que diz respeito: “de querer sempre, ser melhor que o outro”, e principalmente na ausência de valores, que faz com que nosso convívio social seja cada vez mais inóspito para se viver.

O Esporte tem se mostrado uma boa alternativa para inverter este processo, já que, no ambiente esportivo vivenciamos situações semelhantes ao cotidiano, no que se refere a tomada de decisão, relação interpessoal, trabalho em grupo e principalmente no aprender a “vencer” e “perder”, a respeitar o outro, seja ele seu par ou não.

Quando olhamos o Esporte para “dentro dos muros da Escola”, percebemos uma saída ainda mais eficaz para auxiliar nesta constituição de valores individuais e sociais, que contribui para as relações humanas.

É preciso ressaltar que este envolvimento do aluno com o Esporte deve ir além das aulas de Educação Física, que já tem uma demanda a cumprir referente ao currículo escolar.  Desta forma a inserção do Esporte como opção no contra turno escolar, vem suprir uma necessidade da Educação, quando falamos de Educação Integral.

Valores como Disciplina, Respeito, Solidariedade, Trabalho em Equipe, Cooperação, Ética entre outros, são trabalhados e fomentados nos treinos e atividades esportivas diariamente nas Escolinhas e projetos de Esporte Escolar.

Podemos citar as Atividades Esportivas do Núcleo de Atividades Complementares do Colégio Marista como um modelo para trabalhar-se esta constituição de valores com crianças e adolescentes, pois os Valores Maristas aliados com os Valores do Esporte formam uma combinação interessante na formação destes indivíduos.

Nos treinos os (a) alunos (a) não são preparados apenas para competir e vencer seus jogos, mas, para lidarem com a frustração da derrota, o reconhecimento de seus esforços, além, claro do respeito ao outro.

Quando estes valores são colocados em prática frequentemente, vamos consolidando a formação de um caráter, de um cidadão mais justo e ético que será protagonista de uma sociedade melhor para se viver e conviver.