Toda semana, a câmara mirim reúne-se para discutir importantes temas para as comunidades e as escolas.
Toda semana, a câmara mirim reúne-se para discutir importantes temas para as comunidades e as escolas.

Karen Novochadlo
Capivari de Baixo

Política não é coisa só de gente grande. Os adolescentes e pré-adolescentes também mandam muito bem no assunto. Ontem, pela terceira vez, ocorreu o encontro dos vereadores mirins de Capivari de Baixo, na Escola Dom Anselmo Pietrulla. Três escolas participam do projeto: Stanislau Gaidzinki Filho, localizado no Centro, Santo André e Vitório Marcon, Ilhotinha.
Na câmara mirim, os estudantes apresentam propostas e requerimentos para cobrar da secretaria da educação do município melhorias na escola. Ontem, os estudantes da Escola Santo André pediram o conserto da porta do banheiro feminino. Também solicitaram a construção de um depósito para produtos de higiene e outros utensílios.

A preocupação com os portadores de deficiência física também é refletida na Escola Vitório Marcon. Os vereadores pediram que sejam instaladas rampas de acesso. Uma portadora que frequenta a instituição precisa.
As reuniões são realizadas todas às quartas-feiras. Os locais são itinerantes. Cada escola tem cinco vereadores, um prefeito e um vice – eleitos democraticamente.
Também participam dos encontros o secretário de educação da prefeitura, José Wanderley Araújo da Rosa e a direção. “É muito bom fazer coisas pela comunidade”, revela a vereadora mirim Talita Prudêncio Machado, 11 anos.

Posse
Os vereadores mirins de Capivari de Baixo foram empossados no ano passado durante uma cerimônia na câmara de vereadores (a verdadeira!). E os prefeitos no paço municipal. Todos receberam a lei orgânica do município e uma cópia da constituição.

Vitório Marcon tem dez vereadores
Antes de ser criada a câmara mirim, os alunos da Vitório Marcon já organizavam uma eleição, com direito a partidos, segundo turno, campanha eleitoral. Os vereadores, o prefeito e o vice reúnem-se toda semana para debater melhorias na escola. Todos os alunos e a comunidade são ouvidos. A ideia deu tão certo que foi levada a outras escolas.

"Arraiar" no Santo  André

Quitutes, cachorro-quente, chocolate-quente, animação e muita dança. Estes são os ingredientes da festa julina da Escola Santo André, em Capivari de Baixo. Marque na agenda: é no próximo dia 16, a partir das 14 horas.