Capivari de Baixo formou 26 bombeiros-mirins. As crianças estudam na 3ª série da Escola Vitório Marcon, em Ilhotinha. A selenidade foi realizada na Associação de Moradores da comunidade. Todos receberam certificados.
Os estudantes tiveram aulas práticas e fizeram visitas à corporação dos bombeiros, ao quartel do exército, dentre outros locais. E ganharam uma cartilha para ajudar na sala de aula.

Para o comandante do Corpo de Bombeiros de Capivari, 1º sargento Oscar Pedro Neves Júnior, o projeto serviu como uma forma de prevenir a violência, vandalismo e o uso de drogas. “O projeto visa mostrar como funciona o trabalho do Corpo de Bombeiros e o correto acionamento do sistema de emergência (193), evitando os tradicionais trotes infantis”, explicou o comandante.

Participaram da cerimônia autoridades municipais e militares, entre eles o prefeito Luiz Carlos Brunel Alves, e o coordenador regional de projetos comunitários do 8º Batalhão de Bombeiro Militar, Marcos Aurélio Barcelos. “Acreditamos que, através deste projeto, as crianças e pré-adolescentes irão ter uma melhor formação de vida”, enfatizou o prefeito.

Exposição de trabalhos

Os alunos da Escola Teresa Martins Brito, de Capivari de Baixo, mostraram à comunidade, durante um evento promovido no último mês, todos os trabalhos realizados no ano letivo. A mostra teve momentos de diversão, fantasia e magia, com fábulas, contos, histórias e trabalhos elaborados com base na realidade cultural.

Central da Merenda

Está nos planos em Capivari de Baixo a criação de uma Central de Merenda Escolar. Mas, para isso, o prefeito Luiz Carlos Brunel Alves e servidores da secretaria de educação buscaram referências em Criciúma, onde está instalada a Central de Processamento da Merenda.

“Só vimos benefícios na adoção da Central da Merenda. Todos os 15 mil alunos daquele município recebem comida quente, mesmo que preparada longe da escola. A economia também chama muito a atenção. A refeição, que era de R$ 2,30, passou a custar apenas R$ 1,00 por aluno”, destaca Brunel.

O investimento da implantação em Criciúma foi de R$ 160.423,98 mil (R$ 580 mil na aquisição de equipamentos). Fazem parte do processo 71 escolas.
Hoje, o prefeito está em busca de uma área para a futura instalação na cidade. Capivari tem 13 Centros de Educação Infantil e escolas municipais e atende 2,5 mil alunos. São servidas aproximadamente de 4,1 mil refeições por dia.