segunda, 23 de setembro de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Minha Vida de Cão - Cris Carara

Meu cachorro come as próprias fezes. E agora?

Adoção

Publicado em 26/08/2019 00h30

Meu cachorro come as próprias fezes. E agora?

Aumigos, para adoção temos este menino lindão. Ele levou um tiro, passou por cirurgia e já está quase recuperado. Tem dois anos, castrado e vacinado. Só precisa de uma lar que lhe dê muito amor. É carinhoso e muito dócil. Quem puder adotar entrar em contato com a  Leticia pelo telefone 48-99926-9466.

Meu cachorro come as próprias fezes. E agora?


Você já ouviu falar em coprofagia? A prática do animal comer as próprias fezes parece assustadora, mas é preciso cautela para identificar as causas e buscar ajuda. Vários fatores podem estar envolvidos, como desnutrição, verminoses, deficiência de vitaminas e até mesmo problema comportamental.

Nos casos de desnutrição ou má nutrição, o tutor deve ficar atento se não está alimentando o pet com uma ração de má qualidade. Acontece também em cães resgatados, que demoram a recuperar o score corporal. Em ambos os casos, o cão tenta buscar mais nutrientes para o organismo, então, reage comendo as próprias fezes.

O tutor deve ficar atento também na rotina de alimentação do cachorro. Não se deve dar uma única dose de ração, mesmo que seja a quantidade diária recomendada pelo veterinário. Essa prática pode desenvolver uma sobrecarga do sistema digestório, o que leva as fezes a terem um alto grau de produtos alimentares não digeridos. O ideal é alimentar em pequenas doses durante todo o dia.
A apresentação da coprofagia pode ser também uma reação comportamental. Muitas vezes, quando o tutor repreende de forma rígida o local em que o pet defecou, ele pode entender que defecar é errado. Assim, começa a comer as fezes para “esconder o erro grave”.

As verminoses, causadas por parasitas gastrointestinais, são causas muito comuns para o desenvolvimento da coprofagia. Em casos mais raros, há também a possibilidade do pet estar com pancreatite exócrina ou deficiência de vitaminas.

A procura por um profissional especializado em saúde animal é indispensável em todos os casos. Desta forma evitamos tomar medidas equivocadas que podem piorar o quadro do seu animal de estimação. O tutor e o médico veterinário devem entender as causas juntos. Com o diagnóstico preciso, é possível prescrever vermífugo, ajustar a dieta, solicitar exames e obter a solução do problema com mais agilidade e menos sofrimento para seu melhor amigo.

Dica:
Com os dias mais frios que estamos tendo, as ONGs precisam de doações de caminhas, casinhas, cobertores e ração. Pois nossos peludos também sentem frio, sede e fome. Acolher quem necessita é um ato de amor.  Vamos fazer uma corrente do bem e ajudar estes seres que transformam nossas vidas.

Participe!

Se você, assim como eu, adora o seu aumigo e quer vê-lo aqui como nosso destaque, mande um e-mail para: a_crris@hotmail.com. Sigam-nos no Instagram @pipaminhavidadecao, Facebook www.facebook.com/minhavidadecao.


VOLTAR
Banner ServerDo.in
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2019.