sexta, 19 de julho de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Minha Vida de Cão - Cris Carara

BANHO TERAPÊUTICO PARA PETS EM SEIS PASSOS

Publicado em 29/04/2019 02h06

Veterinário conta como oferecer um banho completo e saudável para cães e gatos estarem em dia com a higiene

Assim como os humanos, alguns pets são mais propensos a desenvolverem dermatites por terem alergias. Estas alergias acontecem inclusive por conta de produtos usados no banho, o que requer uma atenção especial para o momento da higienização. Nestes casos, o banho terapêutico é o mais indicado para evitar as dermatites alérgicas, por ser realizado com as técnicas corretas e produtos que contribuem com a saúde da pele dos cães e gatos. O veterinário Ricardo Cabral, da Virbac - indústria farmacêutica veterinária - explica o passo a passo de um banho terapêutico para deixar o pet cheiroso, limpo e saudável. Confira:

Antes de iniciar o banho: Lavar os pets é igual dar banho em bebês, não dá para deixá-lo sozinho e sair para buscar algo, por exemplo. Por isso antes de iniciar, deixe todos os materiais separados junto do local da lavagem. Antes de começar, escove os pelos, removendo com cautela os nós e pelos emaranhados. Os olhos precisam ser limpos de maneira delicada com uma gaze ou toalha especial que não solte fiapos. Caso necessário, molhe a gaze em água morna. Já as unhas demandam uma atenção redobrada. “O ideal é que um profissional corte a unha. Não recomendo que se faça isso em casa, pois existe um risco grande de machucar e gerar uma infecção. Apenas as pontinhas devem ser cortadas e com uma tesoura apropriada para isso”, explica Ricardo Cabral.

1 - Proteger os ouvidos: A primeira parte do banho terapêutico começa pelos ouvidos. A limpeza externa pode ser feita com movimentos suaves, utilizando gaze ou algodão embebidos com produtos apropriados para a higiene das orelhas, de preferência produtos de pH neutro. Já a parte interna da orelha precisa ter uma limpeza mais cautelosa. É aconselhável limpar o interior dos condutos auditivos utilizando apenas produtos ceruminolíticos apropriados, e nunca introduzir objetos como cotonetes ou pinças. “O agente ceruminolítico, como o próprio nome diz, dissolve a cera, e os movimentos de balançar a cabeça que os cães fazem, removem o excesso de sujeira. Cotonetes apenas vão empurrar o cerúmen mais para o fundo, e isso atrapalha mais do que ajuda”, informa o veterinário. Após a limpeza de ambas as orelhas, bolas de algodão devem ser inseridas nos ouvidos para que não ocorra a entrada de água, pois o excesso de umidade pode predispor à infecção (otite).

2 - Umedecer os pelos: Antes de molhar o animal, é necessário prendê-lo de maneira segura e que não cause desconforto. Após preso, o pelo pode começar a ser umedecido, sempre com água morna, especialmente em dias frios e até mesmo em dias quentes, para que ele fique mais relaxado. É importante ressaltar que, se o pet estiver agitado ou com medo, forçar a tomar banho nunca será a melhor opção. “Nesses casos, comece devagar o processo, com carinhos que associe o esfregar ou brincadeiras. Deixar o secador ligado para ele associar o barulho também é uma opção. Passe a lavar apenas as patas, depois o corpo, sempre o recompensando com algum petisco. Assim o medo de água vai passando gradativamente”, conta Ricardo.

3 - Hora do shampoo: O shampoo deve ser aplicado em volume adequado ao peso do animal e quantidade de pelagem, sempre fazendo movimentos de massagem até formar uma leve espuma. “Algumas doenças como infecções de pele e alergias podem demandar um tratamento tópico, ou seja, por meio de banhos terapêuticos e o shampoo é o remédio para esses casos”, explica Ricardo. “Por isso, é importante que os banhos sejam realizados pelo tempo e na frequência recomendados pelo veterinário”. Já para o banho de rotina, no entanto, as exigências são menores, mesmo assim é importante buscar shampoos que utilizem ingredientes hipoalergênicos, que agridem menos a pele dos cães.

4 - Enxágue bem: Após deixar o shampoo agir por pelo menos 10 minutos, é importante enxaguar bem, com água morna para que não fique resíduos na pelagem. “Institivamente, o animal irá balançar o corpo e retirar o excesso de água. Depois, com uma toalha, auxilie o pet para a secagem do seu pelo.

5 - Agora o condicionador: Nessa etapa, basta repetir o 2º e 3º passo, porém aplicando o condicionador ao invés do shampoo. “O condicionador terapêutico, combinado com o shampoo, além de serem ideais para prevenção de dermatites e alergias de pele, também trazem uma hidratação completa da pele dos cães e gatos.”

6 - Pelo limpo e saudável: Por último, é só utilizar um secador de cabelo para secar completamente os pelos do pet, sempre tomando cuidado com a temperatura do secador. “Com o pelo completamente seco, é importante aplicar um antipulgas, para manter o animal protegido contra pulgas e carrapatos. Secar cuidadosamente toda a pelagem é essencial para evitar possíveis dermatites, infecções e proliferações de fungos”, conta o veterinário.


VOLTAR
Banner ServerDo.in
Banner ServerDo.in
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2019.