sexta, 22 de fevereiro de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Lily Farias

O adeus a Sílvio Heidemann

Publicado em 19/01/2019 00h37

Morreu nesta sexta-feira, o ex-prefeito e vereador de Rio Fortuna, Silvio Heidemann, aos 66 anos. Ele estava afastado da vida política há cerca de 6 meses para tratamento de um câncer. Silvio, foi vereador em outros mandatos, prefeito entre 2009 e 2012 e foi eleito novamente vereador em 2016. Ele era casado e tinha 4 filhos. Foi professor de geografia em escolas estaduais e professor de séries iniciais em escola municipal. O corpo é velado na capela da funerária Previne desde às 19h, desta sexta-feira e o sepultamento será no domingo pela manhã no cemitério local. O prefeito Lindomar Ballmann lamentou a morte do amigo. “Tenho uma estima muito grande por ele. Foi o Silvio quem me convidou para ser secretário de Educação, ele foi meu professor também. Deixou a sua marca muito forte: a lealdade e honestidade com o município e o respeito com a população”.

Cronograma
As obras da Tubarão Saneamento para assentamento de redes continuam na região Central de Tubarão. A Concessionária passou o cronograma de engenharia para os próximos dias. Nos dias 19 e 20 de janeiro (sábado e domingo), as equipes estarão em obras nas ruas Esteves Júnior, Lauro Müller, Coronel Cabral e Vidal Ramos. A partir de segunda-feira (21), a obra continua na rua Lauro Müller e Calçadão Central e, inicia na Coronel Colaço, Piedade, São Manoel e Marcolino Martins Cabral. Para agilizar a realização das obras é preciso também a compreensão dos usuários para que não utilizem as vagas de estacionamento próximas dos canteiros de obras. Os trabalhos serão executados entre 7 e 20h, podendo se estender em situações imprevistas.


MIL PALAVRAS
Duas cidades catarinenses decretaram situação de emergência por conta das tempestades, que atingiram o Estado durante a semana: Penha, no Litoral Catarinense (foto) e Nova Veneza, Extremo Sul de Santa Catarina. Segundo a prefeitura de Penha, 47 pessoas ficaram desabrigadas, 400 famílias desalojadas e 1,3 mil residências foram afetadas. Os números preliminares da prefeitura de Nova Veneza apontam que os oito bairros atingidos foram o Centro, Bortolotto, Nossa Senhora de Lourdes, Eliza, Bortoluzzi, São José, Baixada e Sanga Curta, no interior do município. Destas localidades, oito famílias tiveram as suas residências alagadas e dessas, quatro  ficaram desalojadas.


Durante o dia
A SC 370 e Serra do Corvo Branco poderão ser liberadas durante o dia para o tráfego de carros de passeio de caminhões de até nove toneladas. “Nesse momento continua interditada em relação ao perigo eminente, principalmente na área nova de pavimentação, que teve um rebaixamento de dois metros”, destacou o coordenador regional da Defesa Civil da Amurel, Anderson Cardoso. 

Nada barato

Quem comprar uma arma após a entrada em vigor das novas regras desembolsará no mínimo R$ 3,7 mil para regularizar a sua situação cumprindo a todos os pré-requisitos exigidos por lei. O valor inclui a aquisição do armamento escolhido e a obtenção dos documentos necessários. O revólver mais barato encontrado, um 38 de cinco tiros, custa a partir de R$ 3,1 mil. As mesmas lojas oferecem revólveres 22 a partir de R$ 4 mil. A pistola de mesmo calibre custa a partir de R$ 6 mil.

Despesas
A aquisição de uma arma ainda envolve outros custos. É preciso, por exemplo, pagar R$ 88 para a Polícia Federal (PF) a fim de obter o registro necessário para manter o revólver em casa ou no local de trabalho. Com a publicação do Decreto nº 9.685, a validade do Certificado de Registro de Arma de Fogo aumentou de cinco anos para dez anos. O decreto também estipula que, ao solicitar o registro, o interessado que vive ou trabalha em local com crianças, adolescentes ou pessoa com deficiência mental deve declarar possuir cofre ou local seguro com tranca para armazenar a arma.

Desagradou
Autor do do Projeto de Lei que obriga a publicidade da agenda do Poder Executivo, Rodrigo Minotto lamenta a decisão do Comandante Moisés em vetar o PL: “Ela determina a divulgação eletronicamente com antecedência de 24 horas e o objetivo é dar mais transparência aos atos do Governo do Estado. As justificativas para o veto parecem frágeis, já que no âmbito federal a agenda dos ministros de Estado e do próprio presidente da República é pública, conforme estabelece a Lei de Acesso à Informação (12.527/2011) e a Lei 12.813/2013, que trata do assunto. O veto a este projeto é incompreensível e vamos trabalhar para derrubá-lo no plenário da Assembleia Legislativa”, disse o deputado.



VOLTAR
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2017. Desenvolvido por Demand Tecnologia e Bfree Digital