Tatiana Dornelles
Tubarão

Sol, areia, mar, ondas e… surfe. Estes são os ingredientes perfeitos para quem busca por boas ondas e são os itens que Imbituba proporcionou, nos últimos dias, aos melhores surfistas do mundo, que participaram do WCT – etapa Brasil. Uma mega-estrutura foi montada na Praia da Vila para o campeonato e inúmeros turistas e apaixonados pelo esporte foram atraídos para o local.

O WCT é, indiscutivelmente, o maior evento que Imbituba realiza todos os anos e já está consolidado no calendário oficial da cidade. Segundo o prefeito José Roberto Martins, a intenção é melhorar a cada ano para crescer.
“Mesmo com a ausência dos campeões, os primeiros indícios são de que este ano os reflexos são melhores. Os números ainda não foram contabilizados, mas a lotação nos hotéis foi maior, houve grande presença no comércio, superando as expectativas”, afirma o prefeito.

A procura, neste fim de semana, por reservas em hotéis e pousadas foi grande e o efeito deve-se à regionalização do evento, que antes tinha uma mídia segmentada. “Com a regionalização, a mídia chamou as pessoas para o WCT, que deixou de ser apenas ondas e surfe. Agora, há shows e tornou-se um evento multifacetado”, considera.

A luta para que o evento mundial seja realizado em Imbituba é grande durante o ano inteiro e a meta é mantê-lo pelo menos pelos próximos quatro anos. “Queremos, evidentemente, manter o WCT nos próximos quatro anos aqui, como sede oficial. Não é tão simples. Todos os anos, nos dedicamos muito para isso”, conta Beto.
Uma das ações é participar do WCT o ano inteiro, desde a articulação política, a busca por patrocinadores e de recursos junto ao governo do estado, além de trabalhar intensamente com os organizadores. “Conseguimos ainda, em média, de 100 a 120 hospedagens gratuitas para toda a equipe do WCT. A rede hoteleira é parceira e isso se chama interação. Consigo envolver toda a cidade para poder trazer o evento”, acrescenta.