Foto: Reprodução

Autoridades da Espanha entraram em estado de alerta nesta semana após um vulcão localizado na costa da África começar a dar sinais de atividade. O Cumbre Vieja, que fica na ilha de La Palma, é monitorado por autoridades espanholas e não registra atividade relevante há quase 50 anos.

Segundo o último boletim do Instituto Geográfico Nacional do governo da Espanha, publicado por volta das 17h desta quinta-feira, 16, (10h no horário de Brasília), a atividade sísmica na área do vulcão é contínua na região noroeste da Ilha desde o último dia 11.

Até a manhã desta quinta, 4,5 mil pequenos tremores de terra tinham sido registrados a cerca de 2 km de profundidade, o mais forte deles tinha 3,4 pontos na Escala Richter. Os terremotos acumularam energia no local e elevaram o solo em mais de 10 centímetros, o que, de acordo com o órgão, sinaliza que o Cumbre Vieja, adormecido há décadas, voltou a dar sinais de atividade.

Membros do Plano Especial de Proteção Civil e Atenção às Emergências de Risco Vulcânico das Ilhas Canárias (Pevolca) elevaram o nível de alerta de erupção de verde para amarelo (fase número dois de quatro) e membros do Instituto Volcanológico de Canárias foram enviados à região para monitorar o que acontece com o Cumbre Vieja.

“Nossos funcionários estão tirando amostras de gás do local para estimar a taxa de dióxido de carbono emitido pelo sistema do vulcão”, afirmou o Involcan em publicação nas redes sociais.

Projeções científicas feitas na última década pelo Instituto de Geofísica e Física Planetária da Universidade da Califórnia indicaram que, no caso de uma grande erupção do Cumbre Vieja, um grande tsunami pode atingir o oceano atlântico, afetando áreas da África Ocidental e litoral do Reino Unido e causando uma sequência de ondas de até 25 metros de altura nas costas da América do Norte e do Sul, o que afetaria o Brasil.