Os passageiros passam a ter mais segurança com a autorização dos voos por instrumentos  -  Eduardo Zabot/RDL Aeroportos/Divulgação/Notisul
Os passageiros passam a ter mais segurança com a autorização dos voos por instrumentos - Eduardo Zabot/RDL Aeroportos/Divulgação/Notisul

Letícia Matos
Jaguaruna

Os problemas de cancelamento de pousos e decolagens por falta de visibilidade devido às condições climáticas no Aeroporto Regional Humberto Guizzo Bortoluzzi, em Jaguaruna, estão resolvidos. Ontem foi publicada a Carta Aerográfica que confirma a utilização por instrumentos (Instrument Flight Rules – IFR). 

A operação com instrumentos tem papel fundamental para garantir os pousos e decolagens em dias chuvosos e facilitar os voos noturnos. Assim, com o aeroporto devidamente homologado, a RDL Aeroportos tem mais poder de barganha com as companhias aéreas para a abertura de novos voos. Hoje, existe um voo diário – São Paulo/Jaguaruna/São Paulo e a partir do próximo dia 20 até 17 de janeiro do ano que vem, uma linha aos domingos.

Para o secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, Caio Tokarski (PSD), a operação por instrumentos é mais uma conquista fruto da dedicação das lideranças da região. “Tivemos duas vezes em Brasília. Eu, o Murilo Bortoluzzi e o presidente da Câmara de Vereadores, Jairo Cascaes, para cobrar do (ex) ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha. E, hoje (ontem) o aeroporto está apto aos voos. Isso gera mais segurança para os passageiros, para as empresas que operam e para as novas e principalmente dá credibilidade na operação do aeroporto. Com o funcionamento por instrumentos será muito reduzida, considerada quase mínima, a possibilidade de cancelamentos de voos em razão das condições climáticas”, explica. 

O presidente da Associação Empresarial de Tubarão (Acit), Murilo Bortoluzzi, enfatiza o momento positivo. “A região, que aguardava a homologação comemora agora mais esta conquista, que hoje representa a concretização de um ciclo no desenvolvimento logístico do sul. Se em meses de operação comercial o aeroporto já supera todas as expectativas, agora temos a certeza de que representará um salto de desenvolvimento para toda a região e estado”, destaca.

Nos últimos meses, setembro e outubro, foram nove cancelamentos; em novembro, cinco e neste mês, um. “Essa frequência de cancelamento vai diminuir. As condições meteorológicas sempre vão definir na aviação. Em Jaguaruna vamos ter cancelamentos quando o tempo estiver muito ruim, uma condição adversa ao extremo”, afirma o gerente de navegação da RDL Aeroportos, Pedro Luiz Machado. 

 

Operação por instrumentos
O sistema de operação por Instrumento IFR (Instrument Flight Rules) é composto por equipamentos que seguem um conjunto de regras utilizadas pelo piloto para conduzir uma aeronave. Como, por exemplo, a orientação pelos instrumentos de bordo, em vez de referências visuais exteriores à aeronave, que dependem das condições climáticas para operar. 
Essa qualidade do serviço proporciona voos noturnos com mais segurança e conforto aos passageiros. Com a homologação para voos apenas visuais, o aeroporto era limitado às condições operacionais não somente em relação à capacidade da aeronave, como também em termos de segurança, com os voos automaticamente cancelados sempre que chove, uma vez que a visibilidade do piloto é afetada.

Voos aos domingos
Em 60 dias foram contabilizados 3.808 embarques e 3.717 desembarques. Conforme o gerente regional sul da companhia TAM, Rodrigo Canielas a empresa tem visto retorno nos voos e a ampliação de linhas para São Paulo ou até mesmo que o itinerário para o Rio de Janeiro é analisada. Foi solicitada à administração do aeroporto a permanência dos voos aos domingos a partir de fevereiro. Agora, é só aguardar a liberação dos órgãos responsáveis.

Homologação
A instalação do equipamento foi realizada em agosto de 2013 junto com o pedido para operar por visibilidade, que foi autorizado em março do ano passado. Já a solicitação para operar por instrumento ocorreu em junho. Com a homologação da operação por instrumento há um atrativo a mais para que outras empresas realizem voos no aeroporto de Jaguaruna. O interesse das companhias aéreas Avianca e GOL em disponibilizar voos comerciais, por exemplo, tinha como entrave a operação por instrumentos.

Ampliação dos terminais
Os projetos de ampliação do terminal de embarque, terminal de cargas e pista estão prontos. Um trabalho paralelo é feito junto à secretaria de Aviação Civil da Presidência da República para captação de recursos. Os projetos será atualizados no próximo ano e possivelmente a verba liberada em 2017. As ampliações foram incluídas como prioritárias nas audiências públicas do estado realizadas na Amurel.