Laguna

Durante o segundo voo de monitoramento desta temporada, realizado pelo Projeto Baleia Franca com o objetivo de censo, catalogação e análise de distribuição da espécie em águas brasileiras, ontem, foram avistados 102 animais – 36 deles pares de fêmeas com filhotes e outros 30 animais adultos. Entre eles, dois semi-albinos adultos e seis baleias com manchas brancas e cinzas no dorso.

A atividade de monitoramento aéreo foi acompanhada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e contemplou o litoral entre Xangri Lá (RS) e Florianópolis, com destaque para a concentração de cetáceos na Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca, que se estende do Balneário Rincão ao Sul da capital catarinense.

Setembro é o mês com maior pico de avistagens da espécie na região. Isto porque tanto as baleias que chegaram no início da temporada, em julho, quanto as que vieram um pouco mais tarde estão presentes em nosso litoral. A partir de outubro, elas começam a viagem de volta às águas geladas do polo sul, onde ficam as áreas de alimentação.

Santa Catarina, principalmente as cidades compreendidas pela APA da Baleia Franca, é um berçário da espécie, pois serve como zonas de reprodução em função das enseadas serem protegidas por encostas e proporcionarem segurança para atividades de acasalamento, procriação, amamentação e preparo dos filhotes.