A Volkswagen do Brasil está sendo investigada por supostas irregularidades, praticadas entre 2012 e 2013, em patrocínio relacionado ao Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), com capacitação de recursos por meio da Lei Rouanet – que desonera empresas que investem em atividades culturais e destina verbas ao setor.

O processo administrativo foi aberto na última quarta-feira (26/06/2019) pela Controladoria-Geral da União (CGU). A empresa Master Projetos Empreendimentos Culturais também é suspeita.

Ao todo, o valor captado foi de R$ 1 milhão via Lei Rouanet para patrocinar o projeto Brasilidade Sinfônica, entre 2012 e 2013. “A Volkswagen e a Master teriam realocado dinheiro do projeto em benefício próprio”, afirmou a CGU.

O montante desviado será apurado no âmbito do processo administrativo de responsabilização (PAR). O finado Ministério da Cultura (MinC) reprovou as contas do projeto.

As irregularidades também foram apuradas no âmbito da Operação “Boca Livre”, que teve por objetivo descortinar fraudes de projetos culturais propostos junto ao MinC, fomentados pela L