Brasília (DF)

O presidente Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta sexta-feira (24), à tarde sobre a saída do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, da função. Moro deixou a pasta nesta sexta-feira pela manhã. O anúncio ocorreu em uma coletiva de imprensa.

Em seu pronunciamento Bolsonaro afirmou que Moro tem ‘compromisso com o seu ego, e não com o povo brasileiro’. O chefe do poder Executivo federal afirmou que o ex-ministro disse a ele que aceitaria a substituição do diretor-geral da Polícia Federal (PF), Maurício Valeixo, mas em novembro, após ser indicado para uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Bolsonaro assegura que nunca pediu para o ex-ministro blindá-lo onde quer que fosse e também que está ação não fosse utilizada para os seus familiares. Sobre a troca do diretor, o presidente afirmou que não precisa de autorização de nenhum ministro. “A PF de Sérgio Moro mais se preocupou com a Marielle do que com seu chefe supremo. Entre o meu caso e o do Marielle, o meu está bem mais fácil de solucionar. O autor foi preso em flagrante delito”, enfatizou.

O presidente fez a manifestação no Palácio do Planalto acompanhado de ministros do governo. Ele era um ídolo para mim, como era para a maioria dos deputados. Não direi que chorei, mas fiquei muito triste”, afirmou.

Bolsonaro contou que nesta quinta-feira em uma conferência de imprensa Valeixo disse para os seus 27 superintendentes que queria deixar a Polícia Federal desde janeiro. “Como ele dizia que queria sair, comecei a fazer consultas com o senhor ministro para fazermos a troca. Porque nós somos homens e ninguém é de ferro. Nunca pedi para ele o andamento de qualquer professor. Até porque, a inteligência na gestão dele quase perdeu espaço”, finaliza.