Tubarão

Além da intensificação da campanha de vacinação contra a febre amarela, coordenada pela Fundação Municipal de Saúde, o órgão, por meio da Vigilância Epidemiológica, solicita aos moradores atenção e ajuda no combate à doença de uma outra forma: os macacos.

Isto porque nesta semana, segundo informações da própria Vigilância, um morador, que praticava exercícios na avenida Marechal Deodoro (beira-rio) encontrou no local um macaquinho, provavelmente do tipo sagui, sem vida. No entanto, no dia seguinte, quando a equipe da vigilância chegou ao local, o animal não foi encontrado.

Por isto, a Vigilância em Saúde do município pede aos moradores, principalmente aqueles que transitam ou residam em áreas próximas a matas ou ao rio Tubarão que fiquem atentos pois, em caso encontrem animais, em especial primatas, mortos, é necessário chamar imediatamente as equipes da vigilância do município, através do telefone (também WhatsApp) 48 98850-3611.

Alertas naturais
Um dos principais indicativos da presença do mosquito transmissor da febre amarela em uma determinada região é a aparição de macacos mortos. Isto porque estes primatas acabam hospedando o vírus da doença, funcionando, desta forma, como um alerta natural ao homem. É importante ressaltar, entretanto, que os macacos não transmitem a febre amarela, e eliminar estes animais é extremamente perigoso aos humanos, que perdem, assim, o alerta sobre a presença do mosquito e do vírus em sua região.