Foto Elvis Palma
Foto Elvis Palma

A morte do boto-pescador conhecido como Espinafre, nas águas dos Molhes da Barra, encontrado na manhã desta sexta-feira, 15, começa a ser elucidada. O animal foi recolhido pelos veterinários do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) da Udesc Laguna, que estão realizando as análises necropsiais para determinar a causa oficial da morte.

A hipótese inicial de que o boto teria sido morto por conta de um tiro, como indicava um ferimento em seu corpo, está descartada pelos pesquisadores do PMP-BS. A perfuração ainda não teve a causa divulgada.

A Polícia Militar Ambiental já iniciou uma investigação para esclarecer o que teria acontecido com o animal. “A princípio, extraoficialmente, ouve uma fatalidade, um pescador teve a infelicidade de jogar a sua rede de tarrafa e acabou capturando acidentalmente dois botos. Um conseguiu se livrar rapidamente e outro na eminência de se soltar, acabou se enrolando ainda mais”, explica Robson Vieira, sargento ambiental.

O policial conta ainda que outros pescadores auxiliaram a soltar o animal preso, rasgando a tarrafa, no entanto, o boto foi para o fundo das águas e não retornou à superfície. O laudo completo com a causa da morte deve ser divulgado ainda na tarde deste sábado pela equipe do projeto.

Este é o terceiro animal da espécie Tursiops truncatus, que morre em Laguna no mês de dezembro. Recentemente a equipe do PMP-BS, recolheu outros dois cadáveres em decomposição, no último dia 04, e de acordo com dados do projeto, haviam sido encontrados quinze botos sem vida.