O vereador de Braço do Norte, Lauro Beckhauser (PMDB), mostra os projetos de transposição e dados sobre a administração.
O vereador de Braço do Norte, Lauro Beckhauser (PMDB), mostra os projetos de transposição e dados sobre a administração.

Wagner da Silva
Braço do Norte

Apesar de aprovarem o projeto enviado pela prefeitura de Braço do Norte, os vereadores de oposição criticaram a atitude governista e esperam que não haja interrupção nos trabalhos de infraestrutura. A matéria solicita a transposição de aproximadamente R$ 3 milhões até o fim do ano. Os valores, cerca de R$ 400 mil por mês destinados à manutenção das secretarias, serão utilizados para efetuar o pagamento dos salários dos servidores.

Para o vereador Lauro Beckhauser (PMDB), o projeto de lei tem apenas a finalidade de cobrir erros. “A oposição votou a favor para não prejudicar os servidores, mas este fato mostra a irresponsabilidade do governo progressista. Eles esqueceram a população. Quando viram que a eleição estava perdida, dificultaram os trabalhos para o próximo prefeito. Agora tentam corrigir seus erros e sacrificam o desenvolvimento do município para pagar o inchaço criado por eles mesmos”, dispara.
Lauro também aponta a falta de experiência do prefeito interino, o atual presidente do legislativo Ronaldo Fornazza (DEM), que assumiu a prefeitura durante os três primeiros meses deste ano. “Ele chamou os concursados sem necessidade e colocou muitas pessoas em cargo de diretoria apenas para fazer nome à eleição complementar”, critica.

Prefeito rebate as críticas da oposição

O prefeito de Braço do Norte, Evanísio Uliano (PP), o Vânio, garante que as colocações da oposição são incorretas. “A realidade é diferente do que pregam. Na última reunião com os vereadores apresentamos o que ocorre hoje. Vivemos um início de ano difícil. Há pouco tempo frente à administração, também fiquei surpreso com os números e tento corrigi-los, especialmente em função das cobranças feitas pelo Tribunal de Contas do Estado”, explica Vânio.

O prefeito relembra os dados do último mês, apresentados pelo secretário de administração Edenilson Niehues, que mostram números positivos. O gasto com a folha de pagamento dos servidores consumiu 48,6% da receita, frente aos últimos meses, quando o valor superou os 52%. O limite prudêncial, conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal é de 51,3%.

“São dados momentâneos. A previsão é de nova baixa na arrecadação e se isso ocorrer, estes números podem elevar-se. O que a oposição tenta fazer é denegrir a imagem da nova administração”, rebate Vânio.
Para ele, os vereadores da oposição não analisam o cenário econômico dos últimos meses. Vânio avalia que as críticas são apenas uma tentativa de colocar a população contra a administração. “Tentam uma forma de nos tirar do governo. Nós apenas queremos administrar para desenvolver Braço do Norte, mas isto precisa ser feito como determina a lei”, posiciona-se.