Wagner da Silva
Braço do Norte

O Natal é a melhor data do ano para o comércio. Incentivadas pelo 13º salário, muitas famílias já saíram às compras. Exatamente por isso, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Braço do Norte espera um acréscimo nas vendas, no crediário e no cheque, neste mês em 10%.

No Natal de 2008, mesmo com a crise econômica, em Braço do Norte o aumento nas vendas ultrapassou os 8%, em comparação a 2007. Além da melhora econômica, o presidente da entidade, Gemerson Della Giustina, aponta a redução das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) como principal motivo para o aumento nas vendas. “Os comerciantes poderão oferecer prazos mais longos, em função dos preços mais baixos. Isso é benefício para o cliente. Estamos otimistas quanto a este Natal”, avalia Gemerson.

Com o 13º salário, o diretor do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), Dílson Pedro Walter Tramontin, acredita que muitos consumidores aproveitarão para ‘limpar’ o nome e fazer compras. Por isso, a dica é reservar parte do 13º salário para negociar antigas dívidas pode ajudar a obter novamente o crédito. “Depois disso, é avaliar o que se pode gastar e sair às compras”, explica Dílson.
O diretor do SPC sugere a negociação entre cliente e comerciante. “O lojista é um amigo. Mas, para que esta amizade perdure, o dinheiro deve circular entre consumidor, comerciante, fornecedor e fabricante. Todos têm que ter crédito”, diz Dílson.