Os 12 adolescentes e otreinador de futebol que foram resgatados de uma caverna parcialmente inundada na Tailândia perderam uma média de 2 kg durante os 15 dias que permaneceram presos na gruta. Apesar disso, a vida deles não está em risco, segundo informações de médicos divulgadas nesta quarta-feira, 11.

As operações de salvamento foram concluídas na terça-feira com o resgate de quatro meninos e o treinador. Oito jovens já haviam sido salvos em missões anteriores. 

Os últimos cinco resgatados chegaram durante a noite ao centro médico com sintomas de hipotermia em razão das duras condições a que ficaram submetidos ao passarem 17 dias na caverna, e da baixa temperatura das águas que tiveram de atravessar com a ajuda de dois mergulhadores.

“Da mesma forma que seus companheiros, nenhum deles sofre de doenças infecciosas”, afirmou um dos médicos.

Na terça-feira, os parentes do primeiro grupo de resgatados puderam finalmente entrar na sala onde estão os adolescentes, embora com medidas cautelares em razão do sistema imunológico ainda fraco dos jovens. O segundo grupo poderá se reunir com suas famílias ao longo desta quarta-feira, enquanto o terceiro permanecerá ao menos mais um dia em quarentena.

O grupo é alimentado à base de uma dieta leve com arroz e frango, além da ingestão de vários suplementos vitamínicos. Os garotos e o adulto passarão ao menos sete dias no hospital antes de receberem alta.

Os 12 adolescentes, entre 11 e 16 anos, e o treinador, de 26 anos, foram para a caverna durante um passeio depois de um treino de futebol, quando uma intensa tempestade inundou as galerias, impedindo a saída do grupo.

Alguns dos meninos tailandeses foram resgatados “desacordados”, informou nesta quarta-feira um socorrista, ex-membro do comando de elite de fuzileiros navais do país, que participou da operação.