Atenção navegantes! Se as previsões se confirmarem, nos próximos 10 a 12 dias o mar vai ficar muito agitado na costa Sul e Sudeste do Brasil e também do Uruguai e da Argentina. A agitação marítima dará poucas janelas de trégua ao navegantes desta parte do Atlântico Sul tornando a navegação mais perigosa, especialmente para embarcações pequenas e de passeio.

 

O motivo para a agitação é a passagem de vários ciclones extratropicais entre a costa da Argentina e do Sul do Brasil, no intervalo de poucos dias. Grandes ondas e a ventania devem ser esperadas com o deslocamento destes sistemas. 

Na costa brasileira, os navegantes devem redobrar a atenção aos avisos da Marinha do Brasil! 

Mar agitado no Sul e Sudeste entre 27 e 28 de junho

A primeira agitação marítima na costa do Sul e do Sudeste do Brasil ocorre durante os dias 27 e 28 de junho, causada por ciclone extratropical que já está afastado em alto-mar.

No dia 27/6/19, o mar fica agitado no litoral da Região Sul. As ondas podem chegar aos 2,0 metros no litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina e até 1,5 metros no litoral do Paraná. 

No litoral sul de São Paulo, as ondas podem chegar a 1,5 metros. Nas outras áreas do litoral de São Paulo e no litoral centro-sul do Rio de Janeiro, incluindo a cidade do Rio, a previsão é de ondas com até 1,0 metro à noite.

O litoral do Espírito Santo ainda tem mar baixo, com ondas de até 0,5 metro. No dia 28/6/19, a agitação persiste em todo o litoral da Região Sul, de São Paulo e do Rio de Janeiro, com ondas em torno de 1,5 metros. Mas a tendência é de diminuição das ondas durante a tarde e noite no litoral da Região Sul.

No Espírito Santo, o mar sobe no decorrer do dia e as ondas podem chegar a 1,0 metro à noite no sul capixaba. No sábado 29/6/19, a agitação enfraquece de forma geral no Sul e Sudeste e das ondas chegam a 1,0 metro.

Outros ciclones

O segundo ciclone extratropical que tem potencial para deixar o mar agitado na costa do Sul e do Sudeste do Brasil passa pelo litoral do Uruguai e da província de Buenos Aires no dia 30 de junho. 

Um terceiro ciclone extratropical é esperado no dia 3 de julho, mas deve ser reforçado por outras duas ondulações ciclônicas. A agitação marítima deste sistema deve ser a mais intensa e abrangente a avançar para a costa do Sul e do Sudeste do Brasil nos próximos dias.