Os lojistas catarinenses estão apostando apostam em um balanço positivo para o ano de 2020 com base na leve retomada econômica e no estímulo ao consumo. Consultados pela FCDL/SC, 84,18% estão otimistas para um cenário melhor que o de 2019. A projeção dos associados considera que a intenção de compra cresce à medida que aumenta o índice de confiança no comércio.

Segundo o bancário, formado em Ciências Econômicas Henrique Tancredo depois da consistente recuperação econômica que o país passou, projeta-se um crescimento de até 2,5% do PIB em 2020. “A recuperação econômica está andando ao lado da ociosidade industrial, é necessário ter cuidado para que a política monetária – principalmente para consumo – não supere o aumento da produtividade – o que poderá gerar pressões inflacionárias. Vemos esse padrão de otimismo no comércio, serviço e na construção civil”.

Tancredo acredita que os lojistas estão na razão de estarem otimistas, “a expectativa é que a venda dos varejos ampliados venha ser maior em 2020. Muito dessa expectativa otimista também pode ser explicada pela atual política econômica nos pontos da liberdade econômica. As relações mercadológicas dos indivíduos criam, entre si, um conjunto de ‘tradições’ que refletem as expectativas e guiam as decisões dos indivíduos. Quando a economia depende de uma série de sansões burocráticas, diversos entraves acabam ocorrendo, podendo até impedir que determinados negócios, que poderiam gerar empregos, venham a acontecer”. Tancredo explica que uma liberdade econômica que se baseie numa segurança jurídica para ambas as partes, nas transações correntes, permitirá não apenas mais previsibilidade nas relações mercadológicas, mas a segurança para que o setor privado possa desempenhar o papel necessário que responda o otimismo da população.

Questionado sobre as expectativas para o cenário na região Sul, em especial Criciúma e municípios vizinhos, o profissional ressaltou que nos seis primeiros meses, Santa Catarina cresceu acima da média nacional, de acordo com o Índice de Atividade Econômica Regional – considerando indústrias, serviços e agricultura.

“Podemos esperar bons resultados para Santa Catarina. Podemos medir estes resultados considerando a confiança dos setores, que, conforme citado, tem aumentado desde 2018. Este índice de confiança poderá indicar investimentos que, por sua vez, aumentará a estrutura de produção ou a criação de novos mercados. Este índice nos faz crer numa redução do desemprego para 2020.

Tancredo acredita que as pessoas poderão comprar mais em 2020, porém ” é necessário ter cautela no consumo. Um consumo excessivo que depende de crédito, caso generalizado numa economia, poderá aumentar a restrição orçamentária de uma população no longo prazo, fazendo com que a economia acabe freando. Ainda que a expectativa é que a taxa de juros caia no ano que vem, é importante que as pessoas tenham uma reserva tanto para casos emergenciais, quanto para custos planejados como a compra de um celular novo, viagens e etc”, explicou.