Em Laguna, somente uma rede que atende no município necessita de 50 pessoas. Por dia, a gerência chega a receber dez currículos, com média de idade entre 20 e 28 anos
Em Laguna, somente uma rede que atende no município necessita de 50 pessoas. Por dia, a gerência chega a receber dez currículos, com média de idade entre 20 e 28 anos

Laguna

 

O fim do ano é uma excelente época para quem procura emprego, especialmente nas cidades cuja movimentação turística é intensa durante a temporada de verão. As lojas começam a preparação para o Natal e a ampliação do quadro de funcionários cresce vertiginosamente. Hotéis, bares e restaurantes também precisam de reforço.
 
Um exemplo é Laguna. A cidade ‘vê’ a população de 51 mil habitantes transformar-se em mais de 150 mil pessoas em poucos dias. Sem contar no Carnaval e no Réveillon, datas em que a movimentação de turistas no município passa de 200 mil pessoas por dia.
 
Isto impacta positiva e diretamente na economia. As contratações no setor de serviços, entre dezembro e fevereiro, passa de 100 para 300 contratações por mês. Os dados são do Serviço Nacional de Emprego (Sine).
Responsável pelo órgão em Laguna, Elvis Palma afirma que os hotéis são os que mais precisam de novos trabalhadores. Em seguida, estão os supermercados. “Os números são maiores, pois muitos são contratados sem carteira assinada”, considera Elvis.
 
No balneário Mar Grosso, em uma passagem rápida pela avenida Senador Gallotti, é possível deixar o currículo em mais de dez estabelecimentos. Os salários variam de R$ 650,00 a R$ 750,00 e podem ser ampliados devido às gorjetas e comissões.
 
Para o jovem Jorge Luiz, 19 anos, as vagas temporárias são um caminho certeiro para ganhar experiência e, quem sabe, ser efetivado na empresa. “Espero conseguir uma vaga. De preferência no período da tarde e da noite, que para curtir a praia pela manhã”, diz Jorge, aos risos.