Vacina desenvolvida por BioNTech e Pfizer para Covid-19 mostra potencial em testes em humanos

Foram feitos testes em 24 voluntários saudáveis, que após 28 dias desenvolveram níveis mais altos de anticorpos para Covid-19 do que os normalmente observados em pessoas infectadas.

Na corrida global para encontrar imunização contra o novo coronavírus, laboratórios de todo o mundo já testaram em humanos 17 vacinas com resultados promissores.

E nesta nesta quarta-feira (1 de julho), foi anunciado que uma destas vacinas, desenvolvida pela empresa de biotecnologia BioNTech e a farmacêutica Pfizer, indicou potencial e foi bem tolerada no estágio inicial de testes em humanos.

De acordo com as empresas, foram feitos testes de duas dosagens da vacina “BNT162b1” em 24 voluntários saudáveis, que após 28 dias desenvolveram níveis mais altos de anticorpos para Covid-19 do que os normalmente observados em pessoas infectadas.

“Esses primeiros resultados de testes mostram que a vacina produz atividade imune e causa uma forte resposta”, disse o co-fundador e CEO da BioNTech, Ugur Sahin.

Sahin também disse que a empresa está preparando testes mais amplos para confirmar a proteção contra uma infecção real.

Já a  Pfizer diz que “caso o estudo de segurança e eficácia seja bem-sucedido e a vacina receba aprovação regulamentar, as empresas esperam fabricar até 100 milhões de doses até o final de 2020 e potencialmente mais de 1,2 bilhão de doses até o final de 2021”.