Wagner da Silva
Braço do Norte

As informações apresentadas na palestra realizada ontem, em Braço do Norte, sobre a implantação do departamento antidrogas na prefeitura de Colombo, no Paraná, serviu como um alerta para a sociedade e líderes políticos do município do Vale. Os cerca de 60 participantes ficaram assustados com os depoimentos gravados em vídeo e com os índices sobre o uso e tráfico de drogas.

O passo-a-passo para a implantação do departamento e os problemas sociais agravados pelo uso de drogas foram detalhados pelo ex-policial federal e diretor do departamento antidrogas de Colombo, Arthur de Almeida. Ainda que o problema chame mais atenção, ele também pontuou com clareza as possíveis soluções para minimizar a situação.

Deslumbrados com a possibilidade de implantar um departamento como o de Colombo em Braço do Norte, Arthur propôs uma parceria entre os dois municípios e trouxe um mostruário de documentos para a criação do órgão na cidade do Vale.
“Os problemas são iguais e a sociedade não pode ser omissa. É muito mais fácil e barato trabalharmos com a prevenção. E o melhor caminho é iniciar este trabalho dentro das escolas, dentro dos lares. É preciso diálogo aberto com as crianças e adolescentes”, avalia Arthur.

A criação do departamento em Braço do Norte não gera ônus à prefeitura. Segundo Arthur, a única despesa é para estruturar o local. Os recursos para manter o órgão podem ser facilmente conquistados por meio do Programa Nacional de Segurança e Cidadania (Pornasci).

Palestra pode ser ministrada em Tubarão
O pastor da igreja do evangelho quadrangular de Tubarão, José Roberto Burigo, também participou da palestra do diretor do departamento antidrogas de Colombo, Arthur de Almeida, para uma palestra na Cidade Azul. O pastor atua, há dez anos, com jovens e presidiários. Segundo ele, dos 330 detentos do presídio regional de Tubarão, 90% estão presos por envolvimento com drogas e a maioria tem menos de 22 anos.