A pequena Ana Clara de apenas 4 meses de vida foi internada no hospital Joana de Gusmão, em Florianópolis, no dia 25 de janeiro com uma inflamação no fígado, por indicação do pediatra. No dia 30 de janeiro ela foi transferida para um hospital em Porto Alegre com o estado de saúde agravado.

De acordo com a família, mesmo com a gravidade da situação houve um descaso com a saúde da menina e por conta da demora na transferência a filha acabou piorando. Depois de passar por todos os exames em Porto Alegre a menina foi diagnosticada com cirrose. 

Em nota, a Assessoria de Comunicação da secretaria Estadual de Saúde disse que até terça-feira  “não havia nenhuma solicitação de transporte para a paciente. Também não há registro desta paciente no âmbito do TFD Estadual. Contudo, é possível que haja processo em tramitação na Regional de Saúde mais próxima do domicílio da paciente. Em relação a negativa de atendimento, afirmamos a inexistência do referido fato. Se, cumpridas as etapas normais para admissão de um paciente no TFD Estadual (preenchimento do processo, agenda de atendimento na unidade referenciada e autorização da comissão médica), o atendimento não é negado”.

Apesar de afirmar que não haveria nenhuma solicitação de transporte, no dia seguinte em que a nota foi encaminhada, a transferência foi realizada. “Ninguém nos explicou o que havia acontecido, o porquê de ainda não terem levado ela, simplesmente liberaram a transferência na quarta-feira”, explica o pai da menina Gregório Sotero. 

Na tentativa de resolver a situação o quanto antes a família já deu entrada nos papéis para a realização de um transplante. 

A família é de Araranguá e procurou o Portal W3 para tentar resolver o caso.