Equipe de médicos urologistas do Hospital Unimed Tubarão iniciou na quinta-feira (4) uma sequência de procedimentos de enucleação de próstata com energia bipolar. Segundo o Dr. Michael Christian Ramos Hennich, que integra a equipe com os médicos Sandro Polidoro Berni Brum, Arthur Radaelli Nicoleit e Alan Knabben Magri, a Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) é uma condição clínica comum no homem idoso, caracterizada pelo aumento da próstata. São oito cirurgias que serão concluídas até este sábado, sendo que o primeiro paciente foi um homem de 68 anos.

Explica o urologista Michael Christian Ramos Hennich, do Hospital Unimed Tubarão, que, com o avançar da idade o aumento da próstata pode provocar aparecimento de sintoma urinário e impactar negativamente na qualidade de vida nessa população. “Os sintomas podem surgir quando esse crescimento comprime a uretra (canal da urina) dificultando o adequado esvaziamento da bexiga, resultando em sintomas como jato urinário fraco e aumento da frequência urinária”, acentua.

Os sintomas de HPB dividem-se em sintomas de armazenamento ou irritativos, que incluem frequência urinária aumentada, urgência miccional e noctúria, e sintomas de esvaziamento ou obstrutivos, representados por redução do calibre e da força do jato urinário, esforço ou demora para iniciar a micção, jato intermitente e sensação de esvaziamento incompleto da bexiga. “Jato urinário fraco e intermitência são sintomas de alta prevalência em indivíduos com HPB”, alerta o profissional.

Orienta Dr. Michael que o paciente deve ser avaliado pelo médico urologista com a finalidade de acompanhar prováveis sintomas de HPB ou identificar outros problemas relacionados. O tratamento inicial, pontua, pode ser feito com medicações que melhoram os sintomas de esvaziamento da bexiga e inibem o crescimento da glândula (próstata). “Quando há sintomas mais severos ou complicações, a cirurgia pode ser necessária”, diz.

 

EVOLUÇÃO

Tratamentos com técnica minimamente invasiva podem ser utilizados neste cenário dependendo de cada caso. O urologista do Hospital Unimed Tubarão salienta que a ressecção de próstata endoscópica (RTU) é amplamente difundida e uma técnica já consagrada. Segundo Dr. Michael, algumas alternativas para próstatas mais volumosas têm evoluído em resultado e segurança.

“Entre elas temos a Enucleação endoscópica de próstata, onde a fonte de energia (bipolar ou laser) é utilizada para cortar e remover o excesso de tecido que está bloqueando a uretra e consequentemente a passagem de urina”, pontua.

Explica que a cirurgia de Enucleação Endoscópica de Próstata tem como objetivo retirar maior volume do tecido prostático (adenoma) ajudando a reduzir os sintomas urinários causados pela HBP, incluindo a frequência urinária aumentada durante o dia e a noite, jato urinário fraco e lento, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga, urgência para urinar e necessidade de esforço para iniciar micção.

“A cirurgia também pode ser feita para tratar ou prevenir complicações devido ao fluxo de urina não adequado como infecções urinárias, pedras no trato urinário e prejudicar o funcionamento no rim”, conclui.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul