Lily Farias

Tubarão 

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, explicou a lideranças da Amurel a situação da ida do Núcleo Sul para Criciúma. Eles estiveram reunidos na Acit na manhã desta sexta e tiraram todas as dúvidas. 

 

Depois de um estudo detalhado sobre a atual estrutura das agências regionais em todo o Estado, a Celesc apresentou nesta semana um novo modelo organizacional. 

 

As 16 regionais vão permanecer onde estão e a partir de maio haverá um novo enquadramento nas estruturas, que passam a contar com oito núcleos e oito unidades. A nova configuração surge para compatibilizar o porte das unidades administrativas com a respectiva estrutura de sistema elétrico e a dimensão do mercado consumidor.

 

Com esse novo mapa Tubarão passa a ser uma Unidade. A decisão foi divulgada pelo Governo do Estado durante a semana e de acordo com o presidente da Celesc houve um ruído na comunicação.

 

“Com a nova estrutura Criciúma já estava no novo mapa para ser sede do Núcleo Sul, mas precisaria alugar um novo espaço. Então a direção em Florianópolis optou por deixar Tubarão como sede até Criciúma resolver a situação”, disse Cleicio.

 

Foi aí que as lideranças do Extremo Sul foram à Capital para resolver o problema e se comprometeram com a Celesc para fazer a mudança em até 60 dias.

 

Total Autonomia

As lideranças da Amurel mostraram preocupação de que a Unidade de Tubarão poderia perder sua estrutura e poder de decisão, e assim ter que se dirigir ao Núcleo Sul sempre que precisasse resolver problemas.

“Não queremos brigar com Criciúma mas também não podemos ficar pedindo tudo pra eles. Queremos uma porta para bater. Não importa o status, importa que sejamos atendidos e tenhamos nossos problemas resolvidos”, disse o prefeito de Tubarão Joares Ponticelli (PP), e presidente da Federação Catarinense dos Municípios. 

A Unidade de Tubarão continuará atendendo às demandas da Amurel sob a responsabilidade de Helton Julio Perraro. 

 

 

Os Núcleos

Os oito núcleos vão representar as regiões Sul, Leste, Norte , Alto Vale, Meio Oeste, Oeste, Planalto e Grande Capital. As 8 unidades estarão em Criciúma, Videira, São Miguel do Oeste, Mafra, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Rio do Sul e Concórdia. “A nova estrutura está adequada ao nosso compromisso da gestão, com foco na eficiência, no respeito aos cidadãos e na gestão técnica. Sendo assim, os gerentes seguem o perfil técnico e as decisões serão tomadas de forma isonômica, priorizando a necessidade do sistema elétrico, da sociedade e as exigências da ANEEL. Juntos, trabalhando para uma Celesc pública, com a importante missão de prestar serviço aos catarinenses”, reforçou o presidente Cleicio.