Tubarão

 

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para milhares de portadores de leucemia, linfoma e algumas outras doenças do sangue. Para ampliar a chance de quem precisa encontrar um doador compatível, os estudantes do curso de medicina da Unisul em Tubarão organizam uma campanha de cadastro de doadores.
 
Pessoas entre 18 e 55 anos, munidas de documento de identidade e dispostas a doar 5 ml de sangue, podem efetuar o cadastro. Para divulgar a campanha, os acadêmico promovem, amanhã, no centro da cidade, uma panfletagem.
 
O objetivo é tirar as dúvidas da população e explicar como é feito o cadastro e a doação de medula. “No Brasil, apenas 2% da população é cadastrada para ser doadora de medula óssea. Apesar deste número estar em crescimento, ainda não é suficiente para auxiliar o grande número de pessoas que necessita de transplante”, alerta a acadêmica Heloísa Alves Pacheco, organizadora da campanha.