#ParaTodosVerem Na foto, atrás o símbolo do Twitter e na frente o perfil de Elon Musk na rede social
- Foto: Dado Ruvic | Reuters via Agência Brasil | Divulgação

O bilionário Elon Musk anunciou que está cancelando o acordo de us$ 44 bilhões compra do Twitter, e afirmou que a rede social violou várias cláusulas do negócio anunciado em abril. As ações do Twitter chegaram a despencar 7% no pregão estendido desta sexta-feira (8), e fecharam em queda de 5,1%, a US$ 36,81. Musk tinha acertado a compra da rede social por US$ 54,20 por ação. O presidente do conselho de administração do Twitter, Bret Taylor, afirmou que a companhia planeja ir à Justiça para assegurar a conclusão do negócio.

“O conselho do Twitter está comprometido em obter a conclusão da transação no preço e termos negociados com Musk”, anunciou Taylor. Em comunicado, ja na noite desta sexta, os advogados de Musk afirmaram que o Twitter “ignorou múltiplos pedidos de entrega de informação e algumas vezes os rejeitou por razões que não parecem justificadas”. As informações requeridas eram sobre contas falsas ou de spam na plataforma. O comunicado também afirma que o Twitter está ciente de estar violando o acordo desde 6 de junho. “O acordo [de venda do Twitter para grupo liderado por Musk] parece ter representações materialmente imprecisas”, afirmaram os advogados.

O anúncio do homem mais rico da Terra é mais um episódio em uma disputa em que ele tem cobrado do Twitter para fornecer provas de que as contas falsas e de spam representam menos de 5% do total de usuários da rede social, como afirmado pelo atual presidente-executivo da empresa, Parag Agrawal. Os termos do negócio estabelecem que Musk terá que pagar US$ 1 bilhão em taxa de cancelamento se a transação não for concluída por motivos como problemas para assegurar financiamento para o preço acordado ou impedimento da transação por reguladores. A cláusula de rompimento, porém, não se aplicaria nos casos em que Musk decida cancelar por si só o negócio.