Amanda Menger
Imbituba

O movimento de cargas no porto de Imbituba poderá crescer ainda mais nos próximos anos. E não é apenas pela revitalização da infra-estrutura do próprio porto, mas pela conclusão da pavimentação de outras rodovias, além da duplicação da BR-101. A expectativa do Fórum Parlamentar Catarinense é que a produção, seja industrial ou agrícola da serra gaúcha, possa ser escoada pelo Porto de Imbituba.

Para encurtar as distâncias, foi apontada como prioridade pelos deputados e senadores a pavimentação da BR-285, que segue a Serra da Rocinha, passando por Ermo, Turvo, Timbé do Sul até São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul. A outra rodovia tida como importante é a SC-450, que faz a rota da Serra do Faxinal, ligando Praia Grande, no extremo sul catarinense a Cambará do Sul, no alto da serra gaúcha.

“Estas novas rodovias interligarão a serra gaúcha ao litoral catarinense, porque as duas rodovias poderão ser acessadas pela BR-101. O Porto de Imbituba estará muito mais perto do que o porto de Rio Grande. A exportação de produtos será muito mais fácil e barata”, observa o deputado federal Edinho Bez (PMDB).

O parlamentar lembra ainda outro atrativo logístico do litoral catarinense. “Temos ainda a possibilidade de levar essa produção via ferrovia. Com a expansão da malha ferroviária todos os portos de Santa Catarina estarão integrados também. Este será um outro fator de desenvolvimento e que irá atrair mais investimentos para a região”, avalia Edinho.

O edital de elaboração do projeto de expansão da ferrovia poderá ser relançado no início de janeiro. “O primeiro edital tinha alguns problemas, por isso, o Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) adiou a abertura das propostas e revise o documento. O novo lançamento deve ocorrer em janeiro”, explica Edinho.

Novas rodovias poderão integrar o turismo

Além do potencial econômico que se revela com a pavimentação da BR-285 e da SC-450, há a possibilidade de criar roteiros turísticos integrados, ligando assim a serra do Rio Grande do Sul com o litoral sul e a serra de Santa Catarina. “O melhor roteiro dos gaúchos é a serra, com a pavimentação das rodovias para chegar a Santa Catarina será ainda mais fácil. A intenção é criar roteiros que integrem as potencialidades das regiões. Temos que lembrar que o Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, será fundamental para isso, porque será mais uma via de acesso para os turistas”, aponta o deputado federal Edinho Bez.

E há outras ações em desenvolvimento em prol da integração turística. “O projeto Serramar é um exemplo, que unirá o litoral à serra catarinense. E os governos estadual e federal já sinalizaram que ajudarão. A proposta vai mais além da pavimentação entre Pedras Grandes e Orleans. É a padronização da sinalização, da indicação de equipamentos turísticos e também dos estabelecimentos localizados às margens da rodovia”, afirma.

Segundo o secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani, a pavimentação do trecho entre Pedras Grandes e Orleans poderá ser financiada pelo programa do Banco Interamericano de Desenvolvimento, o Bid-5. “Esta obra é a prioridade da regional no Bid-5. O governo do estado já indicou que poderá sair do papel. O outro trecho que precisa ser pavimentado é entre Tubarão e Laguna. Essa parte é de responsabilidade do município, mas o estado poderá ser parceiro da prefeitura de Tubarão”, assegura.