Zahyra Mattar
Tubarão
 
O projeto para tornar Tubarão polo tecnológico do sul catarinense começa, aos poucos, tornar-se realidade. O tema é discutido desde o começo do ano passado e é bem possível que neste ano o município passe a contar com a estrutura para instalação das primeiras empresas.
 
A ideia é adotar a mesma medida de Florianópolis no fim da década de 80. Sem ter como expandir o setor industrial por falta de espaço, a prefeitura da capital investiu em um parque tecnológico para receber empresas desenvolvedoras de softwares e produtos associados. Hoje, é referência no país.
 
“Nosso município já tem demanda suficiente para sediar um centro tecnológico. Concentrar empresas e profissionais em um parque destes vai atender nossa necessidade e incentivar o desenvolvimento de pesquisas”, valoriza o secretário de indústria e comércio da prefeitura, Estêner Soratto da Silva Júnior.
 
O projeto de Tubarão é desenvolvido por meio de uma parceria entre a prefeitura, o governo do estado e a Unisul. Os imóveis para abrigar o Parque de Inovação do Sul Catarinense, um nome ainda provisório, já começaram a ser vistos. O mais provável é que a estrutura seja implantada nas proximidades da Associação da Prefeitura, no bairro Campestre. Até o momento, 21 empresas da cidade já manifestaram interesse na ideia.
 
Paralelamente à estrutura física, o estado segue com o estudo quanto a forma de gestão do espaço e quais ramos serão fomentados no local. “O espaço não será doado, será comercializado. Obviamente, não com o preço da especulação imobiliária, e sim com um valor acessível. Doações podem vir a ser feitas no futuro para empresas âncoras”, antecipa Estêner.