Paulo, brasileiro, 55 anos, sedentário, com sobrepeso, colesterol alto, hipertenso e apresentando sintomas de diabetes. Com esse exemplo, o endocrinologista, Dr. Daniel Meller Dal Toé (CRM: 12.771/ RQE: 6.486) abriu, nesta semana, a 29ª Educação Médica Continuada do Complexo Médico Provida, em Tubarão. Palestra realizada com o tema SGLT2 Trocando Experiências: Novas Indicações.

“Esse personagem mostra bem os frequentes casos que chegam aos consultórios e que envolvem atenção para os cuidados como um todo. Porque muitas vezes, o médico que assiste esse paciente foca em tratar somente o diabetes e esquece de tratar a hipertensão ou o paciente mesmo, esquece dos seus demais problemas de saúde. São coisas básicas, mas que caminham juntas, como o controle dietético, o controle do sal, de cessar o tabagismo, de fazer atividade física regularmente, enfim. Isso tudo é muito importante para o tratamento e para melhorar a qualidade de vida desse indivíduo”, explica o endocrinologista.

A principal novidade apresentada pelo palestrante, aos demais médicos no evento, foi a indicação dos inibidores de SGLT2, da Dapagliflozina, no controle do diabetes e sua contribuição para melhorias em outros problemas de saúde.

“Esse fármaco é eficiente, ao diminuir os problemas renais, que é uma complicação do diabetes, e também se mostra interessante para pacientes com insuficiência cardíaca. Ele auxilia em três situações: no controle da pressão arterial, na perda de peso corporal e em evitar outras complicações, acima de tudo, evitar a mortalidade. Então, pouco medicamento associado a outro medicamento pode melhorar e muito o controle de doenças nos portadores de diabetes. ” ressalta Dr. Daniel.

A representação

Para o endocrinologista, esse modelo de pessoa apresentado é comum, principalmente sendo um homem, que comparado as mulheres, se cuida muito menos.
“Objetivo dessa figura também é para chamar a atenção da classe médica, tanto de clínicos de unidades de saúde, quanto de prontos socorros, setores emergências, etc., que frequentemente recebem pacientes com esse quadro, com risco potencial para doenças do coração. Pesquisas mostram que dois terços deles, diabéticos, vão apresentar patologias do coração e muitas vezes, vão evoluir para óbito, por isso a atenção para o tratamento prevalente”, destaca.

Tratamento
Um dos problemas apresentados, nesta edição é a continuidade dos tratamentos. Entre as causas apresentadas estão, o esquecimento de tomar os medicamentos, de compra-los e da adesão, como um todo.
“Tratamento do diabetes envolve metas, envolve a busca de um controle, de dar continuidade de forma efetiva. Fatores como lembrete de laboratório, lembrete no celular, de mecanismos que alertem para compra do fármaco antes que ele acabe, tudo isso, pode ser um aliado para diminuir essa descontinuidade e para que o paciente esteja sempre dentro do controle”, alerta.

29ª Edição

A 29ª edição da Educação Médica Continuada (EMC) do Provida contou com a presença de endocrinologistas, cardiologistas e clínicos, e com o apoio do Laboratório Astrazeneca do Brasil.

Aperfeiçoamento

A Capacitação Médica Continuada são cursos de aperfeiçoamento científico direcionados aos médicos das diversas especialidades. Encontros periódicos para desenvolver competências, estimular conhecimento e contribuir para melhorias no atendimento aos clientes do Complexo.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Provida