#Pracegover foto: na imagem há um gato obeso
#Pracegover foto: na imagem há um gato obeso

O seu animal de estimação (cão e gato) é aquele que não pode ver você comendo alguma coisa que vai logo pedindo um pedacinho? Adotar um estilo de vida saudável, praticar exercícios e manter uma alimentação equilibrada são fatores importantes também para os animais. Caso contrário, a falta de ‘regras’ pode levar o animal a ter problemas de saúde.

De acordo com o médico veterinário de Tubarão, André Freccia, o animal obeso está num estado inflamatório crônico. Porque a obesidade acaba por sobrecarregar diversos órgãos. “Ela afeta a circulação, o pet começa a mancar, há gordura em vísceras e ao redor do fígado. Assim, há vários distúrbios endócrinos. Ele pode ser um pré-diabético ou diabético. A obesidade é um problema crônico e que acarreta muitos transtornos”, enfatiza.

O profissional explica que deve ser feito o escore corporal. Algumas raças possuem pré-disposição de ganhar peso, os cães, por exemplo, fazem pouca atividade física e vivem muito dentro dos lares. “Há animais que se alimentam de muitos petiscos, rações de baixa qualidade ou com alimentos de alta taxa de carboidratos na dieta. Isso favorece o ganho de peso. Há rações específicas para programa de controle de peso e com baixo nível de carboidrato”, detalha.

Freccia pontua que se alimentar de ração não significa que o animal está bem nutrido. A discussão é grande e complexa, mas é necessário seguir a mesma metodologia das pessoas com os animais. “Atividade física, dieta equilibrada, vida ao ar livre e disciplina na alimentação. Tudo isso fará com que o meu pet não ganhe peso e futuramente não tenha problemas endócrinos, diabetes e outras situações vinculadas a obesidade”, observa.

Vale ressaltar que cães de grande porte demoram mais para saciar a fome, o que pode os levar a obesidade mais facilmente, eles ingerem mais quantidade de ração. Por isso, os tutores devem se atentar ao balanço entre as proteínas, carboidratos, gorduras e fibra de uma dieta, já que são a base para determinar a quantidade de alimento ingerida sem excessos, conforme o peso do animal. O sobrepeso em excesso pode acarretar em diversos problemas de mobilidade, cardíacos, pulmonares e articulares.

A gordura acumulada no abdômen pressiona o diafragma do cachorro ou gato, dificultando a contração e o relaxamento desse músculo. Por conta disso, o coração tem mais dificuldade em bombear e distribuir o sangue pelo corpo do pet que está fora das dimensões normais, sobrecarregando o sistema cardiovascular.

O excesso de peso também pode prejudicar as articulações e músculos, já que eles estão carregando um peso maior que o normal e acima de sua capacidade. Isso pode provocar rupturas de menisco, tendinite, artrite e diversos outros problemas que podem diminuir a qualidade de vida do pet e alterar o seu estilo de vida, fazendo com que ele se torne sedentário por conta da dificuldade para caminhar.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul