#Pracegover foto: na imagem há um cão e uma bolsa de sangue
#Pracegover foto: na imagem há um cão e uma bolsa de sangue

Você sabia que as transfusões de sangue não são utilizadas apenas nos cuidados de saúde dos seres humanos? A transfusão de sangue em animais é realizada em casos graves que exigem cuidados emergentes. O objetivo é manter vivo um animalzinho que perdeu grande quantidade de sangue em algum acidente ou durante uma cirurgia, por exemplo.

A veterinária Caroline de Souza Lopes, de Tubarão, explica que são indicadas as transfusões quando, ao realizar um hemograma, o profissional de medicina veterinária conclui que há uma baixa concentração de glóbulos vermelhos no sangue e que está ainda acompanhada por sinais clínicos de anemia (mucosa pálida, taquicardia etc). Isso pode ocorrer quando ele tem problemas hepáticos ou renais, infecções por parasitas do sangue (babesiose, ehrlichiose, haemobartonelose), parasitoses intestinais, deficiências alimentares, acidentes, intoxicações, entre outros.
A profissional destaca que a transfusão de sangue é um procedimento que precisa ser analisado quanto aos riscos e também os benefícios ao ser incluído no tratamento de um paciente. Nos cães, esse procedimento ocorre com uma frequência maior que nos felinos e bancos de sangue desta espécie são realidade apenas nas grandes cidades.
Para poder doar sangue, o cão precisa ter acima de dois anos, pesar mais de 20 quilos e estar sadio. A quantidade de sangue retirada depende do peso do animal que receberá a transfusão, no entanto, é sempre uma quantidade que não provoca efeitos colaterais no doador. Já nos felinos a doação de sangue conta com algumas particularidades. Pelo porte do animal não é possível retirar mais do que 60ml de sangue e ele deve ter entre 4,5 e 5 quilos. A idade permitida para doar sangue é entre 1 e 8 anos, tanto nos cães como nos gatos.
Muitos tutores desconhecem a importância da doação de sangue para os animais de estimação e outros têm receio de que o procedimento cause algum risco ao pet. No entanto, o processo para doar é seguro e não provoca efeitos colaterais. Além disso, é indolor e muito rápido (dura cerca de 15 minutos). Como acontece com os humanos, o cão ou gato pode ficar um pouco fraco nas primeiras 24 horas após a doação, o que é algo comum e passageiro.
Grupos sanguíneos dos pets
Os seres humanos possuem 4 grupos com 8 tipos sanguíneos, já os animais possuem agrupamentos muito maiores entre as raças. Por exemplo, os cachorros possuem mais de 13 grupos sanguíneos e os gatos possuem apenas 3 grupos sanguíneos e são os mais parecidos com os grupos de sangue dos seres humanos. É importante ter o total conhecimento sobre os tipos sanguíneos dos pets pois, como acontece com os humanos, os animais também podem sofrer séries reações caso recebam o tipo sanguíneo incompatível.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul