A pandemia do novo coronavírus comprometeu e continua afetando o planejamento das pessoas, organizações, no mundo dos negócios e no setor público também. Na cidade de Tubarão, o principal impacto foi a queda no movimento econômico, o que já foi sentido pela Administração Municipal, tendo em vista que afeta diretamente a arrecadação do município. Outro fator que preocupa é a questão das demissões e o desemprego.

“Ainda não sentimos um forte impacto na questão do emprego, mas, certamente, afetou. Não temos um número fechado ainda porque não temos acesso ao sistema do Ministério do Trabalho, que, inclusive, está fora do ar, mas realizamos duas pesquisas e, em média, 25% das empresas que responderam indicaram que tiveram desligamentos, então temos um número de empresas estimado, mas não temos, ainda, um número total de desligados”, afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico de Tubarão, Giovani Bernardo.

Em contraponto, outro fator ligado à economia apresentou um crescimento neste período de pandemia. “O impacto positivo, se é que devemos dizer assim, é que tivemos um aumento considerável, uma procura muito grande por regularização de MEIs (Microempreendedores Individuais). Nesse caso, houve um grande crescimento na procura, de uns 30%. Então, é um reflexo positivo porque muitos estão regularizando, outros tentando regularizar”, acrescenta Giovani.

Neste sentido, o Sebrae/SC tem sido um aliado dos gestores públicos, principalmente no que diz respeito ao auxílio e restabelecimento dos micro e pequenos empreendedores – os negócios menores são os mais prejudicados nesta crise, com as demissões e o fechamento de empresas. Inclusive, o programa Cidade Empreendedora, idealizado pelo Sebrae com o intuito de alavancar o processo de desenvolvimento do município e criar um ambiente favorável aos pequenos negócios, continua em operação durante a crise, quando se faz ainda mais necessário.

O que foi afetado e o que avançou

Na Cidade Azul, algumas etapas do Cidade Empreendedora precisaram ser reavaliadas e uma parte do projeto está passando por mudanças, a fim de se adequar à demanda atual, como as soluções ligadas à educação, as quais não conseguiriam avançar neste momento e poderão ser transformadas em outras atividades. Entretanto, o programa segue avançando nos demais aspectos.

“Num primeiro momento, parou geral e, agora, estamos retomando, mas tivemos que nos readaptar, sair do presencial e ir para o virtual, por exemplo. Estamos usando a tecnologia para isso, como nas capacitações do mapeamento da economia criativa. Antes eram encontros presenciais e agora já tivemos três encontros virtuais com os artesãos e artistas de modo geral. O programa está andando, principalmente a parte do turismo e da economia criativa, pois estamos concluindo essa parte de mapeamento e capacitação da economia criativa, e estamos finalizando a parte de marca turística”, explica o secretário.

Processo de desenvolvimento

Implantado em 2017, o Tubarão 180º é o Plano de Desenvolvimento Econômico criado para pensar e construir o município até o ano de 2050. Dividido em três eixos (desenvolvimento e sustentabilidade, saúde e qualidade de vida, educação e cidadania), o Tubarão 180º funciona como um guarda-chuva e, abaixo dele, estão outros projetos e parceiros que visam dar apoio no andamento do que está planejado para os próximos anos.

Um dos parceiros nesta empreitada é o Sebrae/SC, com o projeto Cidade Empreendedora. Em meio a tantos desafios para a administração pública, o programa visa auxiliar o desenvolvimento do município. Para isso, faz uso de soluções técnicas e práticas voltadas aos gestores e, também, aos munícipes. Idealizado pelo Sebrae/SC, um organismo de apoio para pequenos empreendedores, o projeto promove, ainda, benefícios para micro e pequenas empresas existentes e oportunidades para a abertura de novos negócios.