Laguna

O vereador Antonio Cesar da Silva Laureano (PMDB) assumiu quinta-feira a secretaria de Pesca e Agricultura, cuja criação foi aprovada na semana passada por unanimidade pela Câmara dos Vereadores de Laguna. Com a licença do cargo no Legislativo por tempo indeterminado, quem assume a cadeira de Laureano é a primeira suplente do partido, Nadia Tasso Lima, que, com isso, torna-se também a única mulher na atual legislatura.

Pelo projeto de lei complementar, aprovado na Câmara, a prefeitura fica autorizada a criar nove cargos comissionados para atender a nova secretaria. São vagas para gerentes, supervisores e integradores, com vencimentos entre R$ 1.228,02 e R$ 2.515,62. Em sua justificativa, o Executivo afirma que leva em consideração o fato de os setores pesqueiro e agrícola estarem entre as principais atividades econômicas do município.

O novo secretário diz que ainda está montando sua equipe, o que deve ser concluído até quinta-feira. “Quero fazer com que, pela primeira vez, a secretaria de Pesca e Agricultura funcione de verdade”, garante Laureano, que afirma contar com o apoio da maioria do partido e de parlamentares.

“Laguna tem 14 mil pescadores, porto, colônia, capitania. Não sei por que a gestão anterior extinguiu a secretaria”, critica. Ele conta que uma de suas primeiras medidas é rever as condições dos trapiches usados pelos pescadores na Lagoa Santo Antônio dos Anjos.

Por enquanto, terminal não deve ser repassado ao Estado
Outra preocupação do secretário é com a situação do terminal pesqueiro lagunense. Segundo ele, o deputado federal Mauro Mariani (PMDB) já disponibilizou R$ 800 mil para serem usados na reforma da fábrica de gelo. Além disso, novos recursos, vindos do governo federal, também estariam a caminho nos próximos meses.

Proposta sempre debatida como solução para as sucessivas crises enfrentadas pelo terminal, a ideia de transferi-lo da União para o governo do Estado, a exemplo do porto de Imbituba, não deve ser posta em prática tão cedo. “Por enquanto continua com o governo federal”, afirma Laureano. Segundo ele, o terminal permanece ligado ao ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.