#Pracegover Foto: na imagem há um caminhão de cor escura em uma rodovia
#Pracegover Foto: na imagem há um caminhão de cor escura em uma rodovia

O presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Santa Catarina (Fetrancesc), Ari Rabaiolli, afirmou que as transportadoras precisam contratar motoristas, porém a demanda para atender este serviço no mercado está em falta. Ele assegura que de imediato há uma solução, aumentar os salários dos trabalhadores para continuarem motivados.

Conforme Rabaiolli, uma transportadora de Canoinhas, no Norte do Estado, tem atualmente cerca de 100 caminhões parados. Não há motoristas habilitados para conduzir os veículos.  A expectativa é que os centros de condutores com apoio dos centros de apoio aos caminhoneiros possam formar novos profissionais.

De acordo com o presidente é um trabalho de difícil implementação e demorado, no entanto, a esperança que a situação possa melhorar prevalece. Por causa da falta de profissionais qualificados, algumas empresas deverão aumentar a tarifa dos fretes alegando este motivo.

Por outro lado, a falta de trabalhadores na área é justificada por diversos motivos como: jornadas de até 12 horas diárias; falta de segurança nas estradas, insuficientes pontos de apoio estruturados nas rodovias, períodos consideráveis longe de familiares e forte vigilância sobre os condutores são alguns motivos.

Até 2015, o Brasil registrava um crescimento médio de 1,4% ao ano no número de motoristas de caminhões, chegando a um total de 5.605.511 profissionais habilitados na categoria C e complementares. Porém, este cenário começou a cair no período seguinte. Entre 2015 e 2020, este número recuou em média 5,9% a cada ano em todo o país, chegando a um total de 4.541.998 profissionais.