Tubarão

Em 2012, a pedagoga Vanessa Mary Viana Marques, de 39 anos, moradora de Tubarão, foi diagnosticada com insuficiência renal e precisou passar pelo tratamento de hemodiálise por sete meses. Segundo ela, o processo é doloroso, porém, a partir do momento que se inicia a luta, o dia a dia é uma vitória.

Quase um ano depois, em janeiro de 2013, Vanessa conseguiu passar por uma cirurgia de transplante, o irmão Felipe Viana Marques, 33, foi o doador do rim. “O transplante foi um divisor de águas na minha vida. Durante meses passei por um processo doloroso e, depois disso, tive a minha vida restaurada”, comemora.

Segundo a pedagoga, que já estava casada há alguns anos com o professor de história José Monteiro, planejavam ter um filho, mas com o diagnóstico da doença o sonho de ser mãe foi adiado. “Somos casados há 13 anos, e quem passa por esse processo é orientado a não ter filho biológico. Mas como um milagre fiquei grávida no ano passado e no dia 19 de dezembro nasceu a Maria Isabel”, conta.

O Dia Mundial do Rim é lembrado nesta quinta-feira. Vale destacar a importância deste órgão, tão necessário para a saúde. Um dos fatores que mais compromete a saúde dos rins é o surgimento dos cálculos renais. Por isso prevenção é a melhor indicação. Tomar água é a melhor dica. A hidratação é a principal maneira de se proteger. A água no organismo faz com que a urina seja diluída, reduzindo a concentração de cristais e facilitando o trabalho dos rins na hora de eliminar nutrientes que não são mais necessários para o organismo. Porém, os médicos orientam para outros fatores dietéticos que podem contribuir com o problema, como a ingestão excessiva de sal, proteína animal, açúcares refinados, alimentos que contenham quantidades elevadas de sódio, cálcio e ricos em oxalatos, como suco de laranja, maçã, alguns tipos de verduras e refrigerantes colados.