Laguna/Pescaria Brava

ODepartamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit/SC) retomou ontem os trabalhos no lote de Obras Complementares e a conservação na BR-101 Sul, depois das festas de final de ano. Desde o último dia 21, a autarquia mantém equipes de plantão emergencial com trabalhos de roçada na vegetação rasteira em menor volume de atividade. Os demais serviços serão retomados gradativamente, sem afetar a trafegabilidade na rodovia federal para os próximos dias.

O lote de Obras Complementares à duplicação segue no km 306, em Bentos, Laguna e no km 322, em Pescaria Brava, com trabalhos alocados para construção de novas vias laterais. A principal recomendação aos motoristas é com a entrada e saída de caminhões basculantes, em movimentação entre o km 318, onde está o local do bota-fora, ao km 324.

Nesta fase de obras na duplicação da BR-101 Sul catarinense serão construídos 4.901,50 metros de novas vias laterais, uma nova ponte para via lateral e a adequação de ponte existente no km 329,9, no Rio Capivari. O lote de Obras Complementares e Remanescentes se estende do km 300, em Laguna, até o km 358, em Sangão e já construiu e liberou cerca de dois mil metros de vias laterais, 1,5 mil metros de calçadas em Pescaria Brava com 2,2 mil metros construídos na travessia urbana do bairro São Cristóvão, em Tubarão, um viaduto e quatro passarelas.

A autarquia também retoma o cronograma de serviços prestados na BR-101 com as roçadas na vegetação rasteira e arbustiva em canteiro central e bordos de pistas, conservação e manutenção no pavimento asfáltico na plataforma duplicada e vias laterais, construção, instalação e manutenção nos elementos de sinalização vertical (placas, painéis, pórticos, semipórticos e marcos). O conjunto de ações é complementado pela pintura de faixas para sinalização horizontal, limpeza em sistema de drenagem – retirada de sedimentos em captações e sarjetas – coleta de lixo, limpeza de calçadas, recomposição asfáltica superficial (tapa-buracos), manutenção em obras de artes especiais (passarelas, viadutos, pontes), conservação dos acostamentos, reconstruções em estruturas danificadas, entre outros trabalhos.

Atenção nas pistas – Com a retomada dos trabalhos, quando necessárias, intervenções sobre as pistas duplicadas da BR-101 Sul vão modificar o fluxo dos veículos em movimentação de longo curso. As atividades realizadas sobre a plataforma são sempre delimitadas pela sinalização provisória de obras, separando os trabalhadores da circulação dos veículos. A indicação de que trabalhos estão sendo executados começa com o sinalizador (bandeirinha), anterior à frente de serviços, e, uma vez dentro do estreitamento de faixas, o motorista deve reduzir a velocidade.

O Dnit/SC pede aos motoristas que respeitem o limite de velocidade dentro das frentes de obras, geralmente limitado entre 40 km/h a 60 km/h para todos os tipos de veículos. Quando há chuva, todos os tipos de trabalhos em execução são suspensos, para garantir a segurança dos usuários e trabalhadores e a sinalização provisória é retirada.

Para outras informações, a autarquia disponibiliza o Serviço de Atendimento ao Usuário da BR-101 Sul, pelo telefone 0800-6030101, de segunda a sexta-feira, entre 8 às 20h. As ligações são gratuitas e devem ser feitas a partir de telefones convencionais.
 
Dnit vai gerir dois PBAs para túneis no Morro dos Cavalos, na BR-101 Sul
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) vai gerir dois Planos Básicos Ambientais (PBAs) durante a construção dos túneis para Transposição do Morro dos Cavalos, na BR-101 Sul catarinense. A autarquia aplicará as diretrizes dos planos para mitigar os impactos socioambientais do empreendimento e, também, fazer a mediação com as comunidades indígenas Guaranis. A gestão e supervisão dos PBAs será feita pelo Consórcio Concremat-Tecnosolo, que atua na Gestão Ambiental da rodovia federal desde o início das obras de duplicação.

A execução das condicionantes e a mitigação dos impactos socioambientais são garantidos por 19 Programa e três subprogramas Ambientais apresentados no documento do Plano Básico Ambiental (PBA) para o empreendimento. Entre esses programas figuram ações executivas como o Controle da Supressão de Vegetação, Comunicação Social e Educação Ambiental, Supervisão Ambiental, Proteção à Fauna, Prospecção e Regate Arqueológico, Monitoramento da Qualidade da Água, entre outros

Já o Plano Básico Ambiental Indígena (PBAI) agrega 13 programas socioambientais direcionados exclusivamente para a Terra Indígena Morro dos Cavalos, que abriga as comunidades Guaranis de Morro dos Cavalos (Itaty), Massiambú e Cambirela. Entre os programas figuram propostas que mesclam a conservação e manutenção ambiental da fauna e flora das terras próximas ao empreendimento, apoio à saúde indígena, Fortalecimento Institucional e Valorização Cultural e Geração de Trabalho e Renda para a população indígena, entre outros.