Tubarão

As ruas ganham novos motociclistas a cada dia. Para se ter uma ideia, a quantidade de motos e motonetas em Tubarão mais que dobrou em menos de oito anos. Em dezembro de 2002, havia o registro de 10.269 veículos deste tipo. Hoje, este número chega a 20.635.

Estatísticas são motivadas principalmente pelo fato da motocicleta oferecer praticidade e economia. Porém, existe um fator que precisa ser cuidadosamente analisado: a segurança. Costuma-se dizer, inclusive, que o parabrisa da moto é o próprio condutor. Por isso a importância dos equipamentos de proteção individual (EPIs).

Para que a eficácia desses equipamentos seja atingida ao máximo, os motociclistas devem ficar atentos ao uso constante e correto. O capacete é o principal equipamento de proteção individual para os condutores de motocicleta. O uso, além de exigido por lei, protege o condutor de fraturas na cabeça em caso de quedas. Mas é preciso estar bem preso.

Segundo resolução 203, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o capacete deve ser afixado à cabeça pela cinta jugular e engate, por debaixo do maxilar inferior. E precisa estar certificado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

O uso de luvas também é importante, pois evita que as mãos escorreguem das manoplas. Em dias de tempo chuvoso, as luvas mantêm as mãos dos motociclistas aquecidas, além de evitar que pequenas batidas causem arranhões.

Em 2002
Tubarão fechou o ano com 10.269 motos (9.225 motocicletas e 1.144 motonetas).

Em 2010
Tubarão tem hoje 20.635 motos (14.541 motocicletas e 6.094 motonetas).

Equipamentos importantes
• Capacete.
• Luvas.
• Calçados fechados.
• Macacões impermeáveis.