Hoje, na Combemtu, haverá a confraternização da Páscoa para todos os alunos. A festa marcará também a despedida dos alunos de Capivari. Alguns pais não deixaram os filhos participar.
Hoje, na Combemtu, haverá a confraternização da Páscoa para todos os alunos. A festa marcará também a despedida dos alunos de Capivari. Alguns pais não deixaram os filhos participar.

Priscila Alano
Tubarão

Pais e alunos estão inconformados. As crianças de Capivari de Baixo atendidas pela Combemtu, em Tubarão, serão transferidas para o Ceaca e Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti). Por enquanto, não há nada ‘no papel’, só em palavras, segundo a administração da entidade tubaronense, que alega não ter sido comunicada oficialmente da mudança pela administração de Capivari de Baixo.

O presidente da Combemtu, Edson Fogaça, explica que na primeira quinzena de março esteve na prefeitura na cidade vizinha para tratar da renovação do convênio entre o município de Capivari de Baixo e a instituição. Porém, na última semana, um novo cenário se formou e foram informados verbalmente que não atenderiam mais os alunos.

“Encaminhamos hoje (ontem) um ofício solicitando que a administração municipal de Capivari de Baixo nos informe oficialmente, via documentação, que as crianças serão desligadas da Combemtu”, relata Edson.
A entidade atende 76 alunos de Capivari de Baixo e outros 16 estavam na fila de espera por vagas. O município mantinha, até o ano passado, convênio no valor de R$ 88 mil com a instituição.

Além da transferência obrigatória dos estudantes, também podem ocorrer demissões, alerta o presidente da Combemtu, já que a verba será cortada. “Elaboramos um calendário que incluía os alunos de Capivari de Baixo. Agora, terá de ser refeito”, lamenta Edson.
A administração da Combemtu ainda espera que o município quite o valor equivalente aos três primeiros meses do ano. Afinal, as crianças foram atendidas, mas não houve repasse de recursos.

Pais lamentam
Os pais dos alunos desligados alegam que não encontrarão no município de Capivari de Baixo a mesma estrutura oferecida pela Combemtu. Alguns pais estão preocupados, pois os filhos não querem frequentar os programas e terão que deixar os filhos em casa sozinhos enquanto trabalham.
“Eu trabalho o dia inteiro. Saio de casa às 6h30min e retorno às 18 horas. Em um período, meu filho vai ficar em casa sozinho, pois ele não deseja ir para o Ceaca”, lamenta Maria das Dores da Silva, mãe de um dos alunos, de 13 anos.

A versão da administração
O prefeito de Capivari de Baixo, Luiz Carlos Brunel Alves, afirma que não voltará atrás em sua decisão. Isso significa que, a partir já da próxima semana, os alunos até então atendidos na Combemtu serão integrados ao programa Peti e Ceaca. “Estamos ampliando a estrutura do Ceaca para atender os alunos. O transporte para Tubarão estava onerando os cofres públicos”, alega o prefeito.