#Pracegover Foto: na imagem há um homem de camisa social, árvores e uma construção
#Pracegover Foto: na imagem há um homem de camisa social, árvores e uma construção

O Notisul trouxe uma matéria em 2010 com o estudante de Tubarão, Eric Westphal. Na publicação de 2010, o jovem relatou a sua felicidade e conquista com jornalista Zahyra Mattar. Ele tinha iniciado há poucos dias o curso de economia, na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Passados 11 anos do início do curso e formado na graduação há 7 anos (2014), nesta segunda-feira (24), Eric, que mora nos Estados Unidos desde 2003, conta a sua trajetória no país norte-americano. “Minha jornada até aqui, principalmente ser aceito com bolsa na graduação de Harvard em 2010, foi improvável. Há um ditado africano que diz: ‘é preciso uma aldeia para criar uma criança’.  Olho para trás e reconheço o papel dos meus pais, de quem me orgulho muito, minha família e também de muitas pessoas que mesmo sem saber me ajudaram a chegar até aqui. Minha vida já mudou muito desde o meu começo nos Estados Unidos. Vou progredir com confiança, olhando para frente com a cabeça erguida, mas com os pés no chão sem nunca esquecer de onde venho e deixar de ser grato pelas chances que tive”, enfatiza.

O tubaronense conta que a educação mudou a sua vida. Segundo Eric, a sua receita sempre foi ter curiosidade, amar aprender e ‘arregaçar as mangas’ para trabalhar muito. No entanto, ele também afirma que teve muita sorte. “Tenho convicção que há muitas pessoas boas e capazes que nunca tem a chance de realizarem o seu potencial. Quando cheguei aqui não acreditava muito em mim mesmo. Era difícil porque de fato nem conhecia alguém que tivesse concluído a faculdade por aqui, ou até que trabalhasse em um escritório. Só conhecia muitos que limpavam os escritórios. Porém tive o privilégio de encontrar algumas pessoas que acreditaram em mim pelo caminho. Em muitos casos faltam recursos e qualidade de ensino, sim, mas também faltam influências positivas para inspirar alunos a sonhar e ajudá-los a ver um caminho desde os seus pontos de partida. Participo de alguns programas de mentoria para jovens e quero continuar a servir como puder”, destaca.

Nos dois últimos anos, o tubaronense se ‘debruçou’ em seu mestrado de negócios (MBA, Masters of Business Administration), também na Universidade de Harvard. Ele expõe que neste período teve a chance de expandir os seus horizontes após 5 anos de trabalho no mercado financeiro, de conhecer e aprender com pessoas brilhantes de várias nacionalidades e interesses. “Profissionalmente tenho várias metas para o futuro. Adoro construir coisas e ganho muita energia em investir, avaliar oportunidades analiticamente e trabalhar com gestores para crescer  empresas. Estou animado para voltar para o mercado após esse período de mestrado”, pontua.

Mudança para os Estados Unidos

Eric chegou aos Estados Unidos com 11 anos, em 2003. Os genitores do jovem, Walter Westphal e Maria Albertina De Bona Westphal, eram proprietários do antigo Supermercado Bebel, no bairro Humaitá, em Tubarão. Após mais de 20 anos de trabalho, os negócios não iam bem e decidiram tentar a vida nos Estados Unidos.

Fora da Cidade Azul, ele relata que cresceu como todo imigrante de classe trabalhadora nos Estados Unidos, estudando em escola pública, trabalhando durante os estudos e acompanhando os seus pais trabalharem duro. “Não vi minhas irmãs e familiares no Brasil por 8 anos. Crescer aqui como imigrante não foi fácil, não planejava aplicar para Harvard e não sabia nem se ia conseguir fazer ou pagar uma faculdade. Um professor se interessou em me ajudar e me incentivou a aplicar. Fiz para não contrariar e fui aceito com bolsa integral. Foi a chance da minha vida”, assegura.

Formado em economia por Harvard em 2014, ele recebeu a distinção ”summa cum laude” (mais alto nível de distinção académica). A sua monografia abordou o ‘desenvolvimento economico e discriminação no mercado de trabalho para moradores de favelas urbanas’. Eric recebeu o prêmio mais alto de teses da graduação de economia em Harvard em 2014.

Após a graduação, Eric trabalhou em um banco de investimento, o J.P. Morgan, em Nova Iorque por dois anos como analista. A sua área era fusões, aquisições e mercados de capitais para empresas financeiras. Posteriormente, trabalhou por três anos como associado em fundo de investimentos de ‘Private Equity’, focando em investimentos em empresas de capital privado nos setores de tecnologia, mídia e entretenimento, telecomunicações e educação. “Participei da conclusão e gerenciamento de vários investimentos durante esses anos”, expõe. Nesta semana, ele conclui o MBA na Harvard Business School, a escola de negócios de Harvard. Eric se forma como Baker Scholar, que é a mais alta distinção académica do programa, dada aos top 5% da classe por performance.

Durante o mestrado, Eric se aprofundou em alguns setores e estagiou com duas start-ups de tecnologia, ambas em São Paulo. Os pais do jovem foram micro-empreendedores e, de acordo com o tubaronense, ele queria usar o mestrado para trabalhar com empreendedores um pouco no lado operacional com empresas em fase de alto crescimento. Agora formado, o economista retorna à um fundo de investimentos de private equity, em Boston, nos Estados Unidos.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fotos: Kohei Takatsuka