Laguna

A equipe de campo do PMP-BS/Udesc registrou nos últimos dias, durante a rotina de monitoramento, seis toninhas (Pontoporia blainvillei), das quais a maioria estava em avançado estado de decomposição. Quatro delas foram contabilizadas na praia do Mar Grosso, em Laguna.

Elas foram transportadas para a Unidade de Estabilização de Fauna Marinha da Udesc, onde passaram por necropsias. Uma das seis toninhas registradas na praia do Sol, em Laguna chamou a atenção dos veterinários pelo grande tamanho. Segundo a equipe veterinária o animal apresentava algumas marcas que poderiam ser de rede, mesmo assim não foi possível identificar a causa da morte devido ao avançado estado de decomposição da carcaça. O que realmente chamou a atenção dos necropsistas, foi que a toninha estava grávida. Durante a necropsia o veterinário Eduardo Macagnan identificou um feto no último mês de gestação.

Das 50 espécies de golfinhos e baleias que vivem no Brasil, a toninha é a mais ameaçada da América do Sul. Dentro das inúmeras dificuldades que este mamífero aquático atravessa para viver e se reproduzir, a principal ameaça é a captura acidental por redes de emalhe, que ocorre em grande número todos os anos.

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.