Zahyra Mattar
Tubarão

O número do termômetro na esquina do mercado público, em Tubarão, marcava, às 15 horas de ontem, 40°. Porém, a temperatura na cidade não passou dos 33° neste horário e no restante da tarde. Para entender o porquê desta diferença, é preciso levar em consideração o local onde estes termômetros urbanos são colocados e ainda as regras internacionais que regem a medição da temperatura.

Este tipo de equipamento apenas transmite uma noção de quantos graus fazem em determinada hora e local. Geralmente a margem de erro é de 5° para mais. “Estes termômetros precisam ser calibrados e estarem dispostos em áreas ajardinadas. Os abrigos meteorológicos seguem o que manda a Organização Meteorológica Mundial e disponibilizam a temperatura ambiente. Os termômetros em locais urbanos captam o calor dos carros e do asfalto, por exemplo. Daí a diferença”, detalha o meteorologista Maurici Monteiro, da Epagri/Ciram.

Até sábado, as temperaturas em Tubarão e região devem permanecer na casa dos 30° a 33°. Pelo visto, São Pedro quer se desculpar pelas últimas semanas de muita chuva. No domingo, o tempo deverá ficar abafado e nebuloso. Entre segunda e terça-feira da próxima semana as temperaturas deverão voltar a cair e é previsto um ‘friozinho’ no decorrer da semana.

Na região sul, explica Maurici, o clima subtropical tem grande influência das massas de ar frio, mesmo no verão. Estas massas perdem ou ganham força conforme a temperatura do Atlântico. Por isso a variação tão repentina nas temperaturas e condições climáticas. Esta alteração deve se observar até o fim deste mês.
Já em março, o frio, que começa historicamente na segunda quinzena do mês, deverá vir antecipado para o início este ano. Inclusive, há estimativa de geada, especialmente nas áreas mais altas do litoral sul catarinense.