Samuel, apesar de tímido, mostrou no teste que tem garra e bom preparo físico.
Samuel, apesar de tímido, mostrou no teste que tem garra e bom preparo físico.

Karen Novochadlo
Tubarão

Muitos meninos sonham em ser jogadores de futebol. E este também era o sonho do garoto Samuel Da Maia do Nascimento, 10 anos. Contudo, uma guinada ocorreu em sua vida, e surpreendeu até os seus pais. Ele foi aprovado pela escola de balé Bolshoi, em Joinville, no norte catarinense. É a única extensão do grupo fora da Rússia.

Desde o ano passado, ele mora no norte de Santa Catarina com a mãe, Angelita Alves da Maia, e o irmão Gabriel. Samuel nasceu e criou-se em Tubarão, onde passa as férias com o pai, que é dono de um estabelecimento comercial.

Samuel fez a primeira etapa do teste escondido da mãe. Uma das professoras do Bolshoi visitou a escola onde estudava e convidou aos alunos a tentarem uma vaga. No mesmo momento, Samuel se ofereceu. Ele nunca estudou dança. Mas em todas as etapas passou. Mostrou que tem flexibilidade, alongamento e um bom preparo físico. Conquistou também uma bolsa de estudos. Junto a ele, outros 180 meninos – de várias escolas municipais – entre 9 e 11 anos, participaram. No fim, somente 20 foram aprovados.

Apresentações de dança Samuel só assistiu pela televisão. Quando perguntado por que se inscreveu, responde de um jeito tímido: “Pareceu interessante”. As aulas já começam na próxima semana. No período da manhã, estudará em uma escola perto e à tarde fará as aulas de dança.
O pai está muito orgulhoso. “Nunca imaginei que ele gostasse de balé. Ele me perguntou o que eu achava e eu disse que o apoiava”, respondeu o pai. A renomada escola recebe inscrições de toda parte do país e do exterior.