Defesa Civil de Tubarão e região distribuiu telhas às vítimas atingidas pelo fenômeno  - Foto:Daniel Fernandes Camilo/Divulgação/Notisul
Defesa Civil de Tubarão e região distribuiu telhas às vítimas atingidas pelo fenômeno - Foto:Daniel Fernandes Camilo/Divulgação/Notisul

Tubarão

Susto e dor, principalmente no bolso. Esse foi o resultado deixado pelos fortes ventos que atingiram a região litorânea do Estado na noite desta quinta-feira. Uma senhora chegou a ficar ferida, sem muita gravidade, após a parede da casa desabar sobre ela. No auge do problema, quase 118 mil unidades consumidoras ficaram sem luz. Vinte e duas subestações e duas linhas de transmissão da Celesc foram atingidas, além dos inúmeros danos causados nas redes tronco do sistema (alimentadores), ramais e transformadores, na rede de média e baixa tensão. 

Além da falta de energia, a região de Tubarão sofreu novos danos. Somente na Cidade Azul, segundo a coordenadora da Defesa Civil do município, Elna Fátima Pires, houve várias ocorrências de destelhamentos, quedas de muros, de árvores, de um galpão e uma família desalojada. “A falta de energia elétrica foi registrada em quase todos os bairros”, afirma. O agente da Defesa Civil do município, Daniel Fernandes Camilo, relata que durante esta sexta-feira a equipe verificou os locais atingidos e distribuiu telhas e lonas às vítimas do fenômeno climático. “A força do vento nem se compara com a do dia 16 de outubro, mas também causou muitos estragos. Houve muitos destelhamentos que pioraram a situação das residências que estavam em reconstrução”, lamenta. 

O coordenador regional da Defesa Civil, Rosinei da Silveira, acompanhou os casos nos municípios da Amurel e conta que em Capivari de Baixo também foram registrados estragos, inclusive nas sedes do Rotary Club e do Corpo de Bombeiros. Em Imbituba ocorreu queda de árvores e destelhamentos, uma família ficou desalojada. Galpões e salões de igrejas também foram atingidos. Braço do Norte houve queda temporária de energia elétrica, queda de árvores em vias públicas e destelhamento de uma residência.

Em Pedras Grandes também ocorreu falta de energia, rompimento de cabo de telecomunicações, destelhamentos parciais em casas e danos à agricultura e extrativismo vegetal. A Fonte da Carioca, em Laguna, foi prejudicada com a queda de uma grande árvore. A Defesa Civil esteve no local e coordenou os trabalhos da retirada da planta, e o acesso às torneiras da fonte foram bloqueados temporariamente. “A região sofreu muitos estragos. Esses foram os principais municípios atingidos que acompanhamos com os relatórios dos coordenadores”, informa Silveira.