O corpo da turista que Andreia Ruon, de 44 anos, encontrada morta em um hotel em Garopaba, no domingo, está sendo velado em Guaramirim. O enterro será na manhã desta terça-feira no cemitério local. 

De acordo com o portal OCP News, Andreia foi encontrada por funcionários em um dos quartos no segundo andar do hotel onde estava hospedada. Segundo a Polícia Civil de Garopaba, ela estava na cama e com um cadarço no pescoço. Não havia sinais de arrombamento na porta do quarto.

O principal suspeito é o companheiro dela, Reginaldo Anselmo Garcia. De acordo com a família de Andreia, o casal tinha histórico de agressão. Ela já havia feito registros de boletins na delegacia. Os dois namoravam há cerca de 10 anos.

Andreia e Reginaldo estavam  hospedados desde quinta-feira. Ele foi visto pela última vez no sábado à noite. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Tubarão e foi liberado nesta segunda-feira (17) para o translado.

Andreia deixa um filho de 27 anos e uma filha de 26.

O filho Tiago publicou no Facebook uma mensagem de despedida para a mãe: “Te amo pra sempre, vai deixar saudades”.

Investigação

Conforme o OCP News, os depoimentos começaram a ser colhidos nesta segunda-feira (17). A a polícia trata o caso como feminicídio. e aguarda o laudo do Instituto Geral de Perícias para oficializar a causa da morte. Caso confirme a suspeita da polícia, Reginaldo deverá responder pelo crime.

A vítima foi encontrada com sinais de esganadura, com um cadarço de tênis preso na região do pescoço e um travesseiro no rosto. “Foram encontradas toalhas e camisas com sangue. Ela estava com roupa, com um lençol sobre o corpo”, detalha o delegado. “Tudo indica, pelas marcas da corda no pescoço, que seja asfixia”, explica  Walter Figueiredo Loyola, titular na Delegacia de Garopaba.