Wagner da Silva
São Ludgero

O aumento na taxa de lixo, cobrada no carnê do IPTU de São Ludgero, continua a gerar discussão na cidade. Porém, este debate poderá ter um bom fim para todos os envolvidos hoje, quando moradores e prefeitura reúnem-se para tentar colocar um ponto final na questão. Na última sexta-feira, ocorreu um encontro entre a equipe de administração da prefeitura, vereadores e cidadãos, o que parece uma solução “costurada”.

A prefeitura tentou mostrar a legalidade do aumento da taxa de lixo, que chegou a 1.100%. Vereadores e moradores não aceitaram os argumentos. Após muita conversa e várias alternativas apresentadas, ficou acertado que os cidadãos pagarão 50% da taxa. Desta forma, quem possui o carnê com o valor de R$ 120,00, o valor a ser quitado será de R$ 60,00.

A proposta deve ser avaliada pelo banco, já que o pagamento é feito através de códigos. “É possível, mas a mudança tem que ser fundamentada, ver sua viabilidade e legalidade. Se for desta forma, não precisará mudar o carnê, apenas o código no sistema”, avalia o diretor de tributação da prefeitura, Gilson Martins. A resposta do banco será apresentada hoje, na sessão da câmara de vereadores.

Mesmo com a questão praticamente resolvida, o prefeito de São Ludgero, Ademir Gesing (PMDB), o Gogo, mostra-se preocupado com a baixa na arrecadação. “O resultado deste embate agradou os envolvidos, o problema é que a prefeitura ainda pagará parte da despesa. O momento não é bom, a arrecadação está baixa. A preocupação fica quanto ao reflexo que isso poderá gerar quando precisarmos efetuar, por exemplo, uma contrapartida em uma obra”, explica Gogo.

Programa de reciclagem poderá virar projeto
Ainda que com o receio de não poder investir em obras por conta da baixa arrecadação, o prefeito de São Ludgero, Ademir Gesing (PMDB), o Gogo, salienta algo importante que ocorreu na reunião com os moradores: várias alternativas para diminuir a despesa com a coleta de lixo foram apresentadas. “O aumento é baseado nas informações sobre a coleta de lixo do último ano. Se houver diminuição na coleta, com certeza, a população pagará menos”, pontua o prefeito.

O líder governista na câmara, vereador Volney Weber (PMDB), se diz contente com a solução do assunto junto à população e pensa em fazer sua parte para auxiliar em projetos a fim de diminuir o gasto com a coleta de lixo. “Não há como aceitar um aumento como este. Porém, o que chama a atenção é o gasto alto para efetuar a coleta em um município pequeno, como São Ludgero. Acredito que o valor da coleta possa ser pago, em parte, somente com o lixo reciclado. Creio que, se todos se conscientizarem, o município não deixará de crescer e ainda é possível manter os impostos sem grandes aumentos, como o que ocorreu”, analisa.