Priscila Alano
Laguna

Os pescadores do estado já começam a contabilizar os prejuízos com a safra da tainha deste ano. Na região de Laguna, os homens do mar alegam que as chuvas de maio contribuíram com o excesso de água doce, o que afastou os peixes da costa. O vento sul também não apareceu, o que não favorecia a vinda das tainhas para o litoral.

O presidente da colônia de pescadores Z-14, de Laguna, Antônio Manoel de Souza, explica que o levantamento dos prejuízos será concluído no fim deste mês. “O vento sul no mês de abril é a esperança e riqueza para o pescador, mas ele não surgiu. O frio também não foi registrado como é esperado para a época do ano, foi uma surpresa para todos. Esperávamos uma safra recorde”, lamenta Antônio.

A tainha é comercializada, em média, a R$ 5,00 o quilo. No ano passado, o valor era de aproximadamente R$ 3,50. Agora, a esperança está na pesca da anchova, que tem aparecido em quantidade no litoral.

“Os pescadores vão buscar alternativas de pescado, para tentar minimizar os efeitos do prejuízo desta safra”, revela Antônio.
Dados da Federação dos Pescadores de Santa Catarina apontam que foram capturadas 620 toneladas de tainha no litoral do estado este ano. Enquanto no ano passado, foram pescados 1,9 mil toneladas. Em 2008, foram capturadas 1,8 mil toneladas do peixe.