Wagner da Silva
Braço do Norte

Este mês iniciou com boas notícias aos suinocultores do Vale do Braço do Norte. Após amargar prejuízo em praticamente todo o ano passado, o aumento de preço registrados no primeiro trimestre animaram os produtores.

Em 2009 o valor variou pouco. Iniciou em R$ 1,60 e fechou o ano em R$ 1,85, com custo de produção em torno de R$ 2,00. Após dois aumentos no mês passado, o preço do quilo chegou a R$ 2,30 o quilo esta semana. A alta é reflexo do crescimento do consumo, avalia o presidente regional da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Adir Engel.

“Muitos produtores não suportaram os prejuízos amargados nos últimos anos e abandonaram a atividade. Isto reduziu a oferta de carne e o preço subiu”, analisa. Adir afirma ainda que a diversidade de atividades dos produtores do Vale auxiliaram para que o setor suportasse a crise por mais tempo.

“Antes, muitos dependiam somente da suinocultura, mas no momento ruim souberam agir. O resultado é o fortalecimento da atividade na região”, considera. Outro fator que contribuiu para renovar a esperança dos produtores foi a redução do custo de produção, favorecido pela safra recorde de milho e soja.

“Aqui tivemos muita chuva, mas no restante do país a produção foi boa. O resultado disso é que o suinocultor conseguirá ter algum lucro e ainda sairá favorecido entressafra”, expõe. Apesar do setor registrar um bom momento, Adir pede para que fiquem atentos a qualquer mudança do mercado.

“As agroindústrias incentivarão novos investimentos e isto é preocupante. A orientação é que os suinocultores privilegiem o pagamento das dívidas para depois investir. Isto evitará dor de cabeça no futura. Especialmente porque nos últimos tempos o preço oscilou muito e o mercado ainda é instável”, alerta o presidente da ACCS.