#Pracegover Foto: Na imagem Denise de Jesus Cardoso com as mãos na água
#Pracegover Foto: Na imagem Denise de Jesus Cardoso com as mãos na água

Nada de modelos ou celebridades posando em cenários paradisíacos. Foi num local simples e convidativo nas ruas de Tubarão, que a diarista, Denise de Jesus Cardoso, de 38 anos, foi fotografada. Após a divulgação do trabalho artístico nas redes sociais do fotógrafo e tiktoker, Elias Ferreira, 26 anos, a moradora do bairro Andrino, na Cidade Azul, se tornou ‘celebridade’ na cidade e na região.

 

Denise conta que saiu de sua residência e foi no centro do município fazer as suas voltas como de costume. “Do nada chegou o Elias e me explicou sobre o seu trabalho. Não acreditei e fiquei pensando: ‘não vão querer fazer um trabalho com uma pessoa simples e descabelada’. Sou diarista, doméstica, uma pessoa como qualquer outra. Nunca pensei que seria abordada e aquilo que esperei há 38 anos, pudesse ocorrer. Ser fotografada por um profissional era um sonho de menina. Sempre gostei de fotografia. Quando mais jovens minhas amigas e eu fazíamos um estúdio improvisado e posávamos para tirar fotos”, lembra.

Elias conta que na semana passada saiu as ruas da cidade em busca de uma mulher que aceitasse ser fotografada por ele, e assim, pudesse deixar a sua beleza ser ressaltada. Em tempos de pandemia, o rosto tem sido ‘escondido’ por máscara que cobre a boca e deve também, tapar o nariz. “Comecei com este projeto em São Paulo. Estive no Estado mês passado e lá tive essa ideia. Foi um vídeo que viralizou. Deu quase 4 milhões de visualizações e pensei em fazer com pessoas de Tubarão também”, expõe.

O jovem é fotógrafo profissional há 4 anos. Seus trabalhos são em ensaios, casamentos, formaturas. “Por causa do tik tok algumas pessoas de São Paulo viram o meu trabalho e fui convidado para realizar alguns ensaios. A atividade na capital paulista foi inicialmente um vídeo aleatório, mas em Tubarão serviu para também para destacar a jovem que estava em um ponto de ônibus. Estava passando e vi a Denise, gostei do cabelo dela, do estilo e resolvi parar para conversar. Expliquei como funcionava e perguntei se ela tinha interesse e felizmente a nossa modelo topou”, comemora.

A tubaronense pontua que muitas coisas passaram pelo seu pensamento, mas que preferiu arriscar e seguir com o fotógrafo, sua mãe e outros colegas de trabalho d profissional. “Estava com o celular em mãos e qualquer coisa mandava mensagem para o meu filho pedindo para chamar a polícia. Neste final de semana dormi sonhando com tudo que me foi proporcionado. Todos da minha família estão felizes! Agradeço o carinho das pessoas nas redes e fora delas. Também o reconhecimento, que a pessoa negra aos poucos recebe. Fui a primeira negra que ele tirou fotos para um trabalho. Acredito que nem o Elias esperava a repercussão. Depois que ele mandou as fotos perguntei: ‘sou eu mesma? ’ Foi um sonho! ”, assegura.

O profissional deverá realizar outros trabalhos com moradores da Cidade Azul. “Foi um trabalho que teve bastante visibilidade. A Denise está ainda sem entender. Ela está encantada, contente e em poucos dias ganhou mais de três mil seguidores em suas redes sociais”, finaliza.

A ideia é fazer fotos de mulheres consideradas ‘comuns’, não modelos, que estejam interessadas em uma proposta diferente das tradicionais fotos de estúdio para aquelas que estão afim de se admirar. Assim, as modelos têm na foto um estímulo para a autoestima e uma maneira de se valorizarem. Elias descreve que o intuito é valorizar a mulher e transformar a fotografia em arte. Fazer poesia com as imagens, com o bom gosto.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul