Cinco centenas de crianças ainda não estão matriculadas. Audiência pública histórica debate o que pode ser feito.

Tubarão

A redução da fila de espera dos alunos da educação infantil foi tema de audiência pública ocorrida na terça-feira à noite no Espaço Integrado de Artes da Unisul, em Tubarão.

Esta foi a primeira vez que o atendimento à demanda da educação infantil pela rede municipal de educação de Tubarão foi tratado em audiência na cidade. O evento foi organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores na Área da Educação da Rede Municipal de Tubarão e Capivari de Baixo (Sintermut), em conjunto com a Fundação Municipal de Educação.

Cerca de 100 participaram da audiência, que também reuniu representantes do Conselho Tutelar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e Conselho Municipal de Educação.

O município atende as crianças nos Centros de Educação Infantil conforme a resolução que estabelece o número de alunos por turma e segundo a idade do aluno. “Precisamos ter critérios para estabelecer quais crianças deverão estar matriculadas, observando o risco social, filhos de mães trabalhadoras e vulnerabilidade social”, defende a presidente do Sintermut, Laura Isabel Guimarães Oppa.

Hoje, os 30 Centros de Educação Infantis do município, juntamente com as vagas destinadas à Prefeitura das entidades filantrópicas, não dão conta de toda a demanda, de acordo com o Sintermut.

“Desde que assumimos a administração municipal, temos recebido diversos pedidos de vagas na educação infantil. Informaram que há uma demanda de 500 crianças esperando por uma vaga, mas pelo visto essas pessoas não estão tão preocupadas como nós, pois no mínimo essas famílias deveriam estar aqui, lotando esse espaço, nos ajudando a encontrar uma solução viável para o problema”, reclamou o prefeito Joares Ponticelli.

Prefeitura promete construção de novos centros
Como possíveis soluções para suprir a demanda, o diretor-presidente da Fundação Municipal de Educação, Mário Cardoso, citou a aquisição das escolas Angélica Cabral e Visconde de Mauá, que estão em processo de transferência do Estado para o município, e a construção de dois novos Centros de Educação Infantil, um no São João e o outro no São Martinho.
Laura afirma que nos próximos dias os organizadores vão se reunir para avaliar a audiência e dar início à preparação da próxima, que deve ocorrer na segunda quinzena de julho.